Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

O Taleban conta com US $ 1 trilhão em recursos naturais

25 Agosto Escrito por  Irina Slav Lido 838 vezes

A indignação internacional com a volta do Taleban ao comando do Afeganistão ainda não diminuiu.

Mas outra questão está ganhando destaque: a riqueza mineral do país problemático - riqueza mineral que poderia levar o Afeganistão a uma proeminência internacional muito maior.


Uma reportagem da CNN resumiu as coisas de maneira bastante agradável - senão direta - na semana passada sob o título “O Taleban está sentado em US $ 1 trilhão em minerais de que o mundo precisa desesperadamente”. O país montanhoso abriga grandes depósitos de cobre, lítio, urânio, terras raras e outros metais e minerais. É também o lar de reservas substanciais de carvão, petróleo e gás.

A estimativa da CNN de US $ 1 trilhão é antiga, feita por geólogos e oficiais militares dos EUA há uma década. Outra estimativa de uma década, feita pelo ministro de mineração do Afeganistão na época, colocava o valor da riqueza mineral do país em até US $ 3 trilhões. Se ajustarmos a inflação e, mais importante, a demanda crescente por alguns desses minerais, os números subiriam ainda mais.

Veja o lítio, por exemplo. É o metal de bateria definitivo, mesmo que apenas pequenas quantidades dele sejam realmente usadas nas baterias. A demanda por lítio, impulsionada pela adoção mais ampla de veículos elétricos, está crescendo tão rapidamente que a produção precisa aumentar quatro vezes mais na década atual para atender à demanda em rápido crescimento. Isso está de acordo com uma previsão da Fastmarkets. Outro, da Benchmark Minerals, vê o mercado de lítio entrar em déficit já no próximo ano.

O lítio não é um metal raro. Mas sua produção está concentrada em apenas alguns países, incluindo China e Chile. No entanto, um relatório de 2010 do New York Times citou oficiais militares dos EUA dizendo que o Afeganistão poderia ser "a Arábia Saudita do lítio".

“Os depósitos até então desconhecidos, incluindo enormes veios de ferro, cobre, cobalto, ouro e metais industriais críticos como o lítio, são tão grandes e incluem tantos minerais essenciais para a indústria moderna que o Afeganistão poderia eventualmente ser transformado em um dos centros de mineração mais importantes no mundo ”, escreveu James Risen, do NYT, citando autoridades americanas.

Chamar um país de “a Arábia Saudita de” qualquer coisa já é impressionante, mas chamá-lo de Arábia Saudita de um metal considerado essencial para a transição energética é ainda mais impressionante. E o lítio parece ser apenas o começo.

O Afeganistão também parece ser rico em cobre. De acordo com uma estimativa oficial afegã citada pela Reuters em um levantamento dos recursos minerais do país, o Afeganistão tem cerca de 30 milhões de toneladas em reservas de cobre. O cobre é indiscutivelmente mais importante para a transição de energia do que o lítio porque a eletrificação exige cobre. As baterias, por outro lado, não exigem necessariamente lítio, mesmo que a tecnologia de íons de lítio continue a ser a tecnologia de bateria dominante.

Os geradores eólicos precisam de 2,5 a 6,4 toneladas de cobre por MW de capacidade de gerador, cabos e transformadores necessários à instalação, segundo dados da Copper Alliance. Para parques solares, a demanda de cobre é de uma média de 5,5 toneladas por MW de capacidade. Ao mesmo tempo, o fornecimento está se tornando mais restrito devido ao esgotamento de minas e aos custos associados à construção de novas minas.

Uma escassez de cobre também está surgindo no horizonte. Segundo analistas citados pela Bloomberg, essa carência pode bater nos próximos quatro anos. A indústria de mineração precisaria investir mais de US $ 100 bilhões para aumentar a produção em pelo menos 4,7 milhões de toneladas até 2030 - o tamanho do déficit anual estimado por analistas.

Mas mesmo o cobre não é o top dos minerais. O Afeganistão tem muitos outros elementos cruciais - ou melhor, um grupo de elementos - que são vitais para a eletrificação de tudo. O país tem cerca de um milhão de toneladas de terras raras, de acordo com uma estimativa do US Geological Survey de 2011. Do lado da demanda, as terras raras dobraram para 125.000 toneladas anuais nos últimos 15 anos, de acordo com dados citados por The Conversation, e continuar a crescer para 315.000 toneladas anuais até 2030.

Além desse tesouro de metais e minerais, o Afeganistão também abriga cerca de 2 bilhões de barris de petróleo bruto e mais de um trilhão de pés cúbicos de gás natural. O petróleo e o gás não são tão empolgantes quanto os minerais de bateria e o cobre atualmente. Mas o fato de esses recursos não estarem sendo explorados indica o problema de explorar as riquezas metálicas e minerais do Afeganistão também.

E&E News lembra que os EUA investiram cerca de US $ 500 milhões para ajudar o Afeganistão a desenvolver uma estrutura regulatória para sua indústria de mineração. Infelizmente, o investimento não valeu a pena, até porque o governo afegão estava relutante em assumir compromissos sérios. E a razão para essa relutância é que, apesar de toda a sua riqueza mineral, o Afeganistão é um estado conturbado e cheio de conflitos.

A estabilidade política relativa é essencial para o desenvolvimento de qualquer indústria de recursos. A fácil conquista do Taleban sugere que,  considerações morais à parte, eles poderiam melhorar a estabilidade do país. Isso garantiria a estabilidade política necessária para desenvolver a riqueza mineral do Afeganistão. Mas provavelmente significaria que as nações que condenaram o grupo armado islâmico não conseguiriam um assento na mesa de negociação de recursos no momento em que estão mais famintas por esses recursos.

Original: https://oilprice.com/Metals/Commodities/The-Taliban-Is-Sitting-On-1-Trillion-In-Natural-Resources.html

Avalie este item
(3 votes)
0
0
0
s2sdefault
Veja algumas métricas do portal.
Subscribe to this RSS feed