Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

Falências no Shale nos EUA aceleram apesar da proteção contra pandemia

30 Novembro Escrito por  Tsvetana Paraskova Lido 785 vezes

A indústria de petróleo dos EUA está tentando se recuperar do pior choque de demanda da história.

Algumas empresas avançaram na tão esperada consolidação no setor, enquanto muitas outras entraram com pedido de falência, já que os preços insustentavelmente baixos do petróleo este ano pesaram sobre os já enfraquecidos balanços. A Bacia do shale dos EUA teve acesso a alguma forma de ajuda do governo durante a pandemia, como todos os negócios nos Estados Unidos. A indústria de petróleo e gás recebeu incentivos fiscais, isenção de royalties e empréstimos perdoáveis no âmbito do Programa de Proteção ao Cheque de Pagamento para manter os funcionários durante a pandemia.

No entanto, as falências na área de shale começaram a acelerar no segundo trimestre, depois que os preços do petróleo caíram no início de março por causa do colapso da demanda e da guerra de preços entre a Rússia e a Arábia Saudita. Perfuradores americanos imediatamente dimuinuiram os gastos de capital e reduziram mais de 2 milhões de barris por dia (bpd) da produção de petróleo entre abril e junho em resposta à queda nos preços.

Milhares de empregos na indústria foram perdidos nos últimos seis meses, e uma boa parte desses empregos perdidos pode nunca mais voltar.
A indústria do shale dos EUA tem lutado este ano e está se preparando para mais dificuldades com a nova administração de Joe Biden, que prometeu proibir novas perfurações de petróleo e gás em terras e águas federais.

O alívio federal durante a pandemia, especialmente as reduções das taxas de royalties em terras federais e offshore, não foi muito eficaz por causa da falta de uniformidade na tomada de decisões, disse o apartidário Government Accountability Office (GAO) no mês passado.

Os defensores do meio ambiente, é claro, apontam o dedo para o simples fato de que o governo federal ousou fornecer ajuda para a indústria de combustíveis fósseis.

De acordo com uma nova análise do BailoutWatch, Public Citizen e Friends of the Earth, a indústria de combustíveis fósseis recebeu entre US $ 10,4 bilhões e US $ 15,2 bilhões em alívio econômico direto, com mais de 26.000 empresas de carvão, petróleo e gás beneficiadas diretamente.

Além disso, benefícios indiretos na forma de fundos de títulos comprados pelo Fed e bilhões de títulos de empresas recém-emitidos "empurraram a ajuda do governo para a indústria para além de US $ 110 bilhões", dizem os ativistas em seu relatório Bailed Out & Propped Up, que golpeia o apoio do governo às “empresas de energia suja que perdem dinheiro” e envergonha as empresas que fizeram uso de programas do governo federal. O relatório prossegue recomendando que “o Congresso deve excluir explicitamente mais ajuda à indústria de combustíveis fósseis de qualquer pacote de ajuda contra o coronavírus futuro”.

O Fed também não foi poupado no relatório: “Ao insistir que as empresas de combustíveis fósseis merecem proteção e apoio, o Fed exacerbou a já terrível ameaça das mudanças climáticas, prolongando a capacidade das empresas de petróleo e gás de tomar dinheiro emprestado a taxas mais baixas do que as dos investidores dispostos a oferecer antes da pandemia ”, dizem os autores.

Algumas outras análises mostraram que "as empresas de energia suja" se limitaram a aproveitar o dinheiro do governo para aumentar os salários dos altos executivos e manter os dividendos para os acionistas.

De acordo com uma análise do Houston Chronicle de julho, o Paycheck Protection Program, com mais de US $ 1 bilhão em empréstimos perdoáveis a empresas, ajudou a salvar mais da metade dos empregos em campos petrolíferos no Texas. De acordo com a análise de números da Small Business Administration, as empresas do Texas conseguiram manter 93.117 empregos ou mais da metade das 182.500 pessoas empregadas no setor no Texas.

Milhares de empregos foram perdidos desde março nos setores de refino e de serviços de campos petrolíferos dos EUA, à medida que a indústria do petróleo está se tornando mais enxuta após a pandemia.

Depois de uma onda de falências no terceiro trimestre, os produtores de petróleo norte-americanos e as empresas de serviços de campos petrolíferos continuaram a pedir proteção aos credores no início do quarto trimestre, disse o escritório de advocacia Haynes and Boone em sua última contagem até 31 de outubro.

Entre as empresas mais saudáveis com ativos de qualidade, a consolidação tem tido o momento mais favorável nas últimas semanas.
Há um novo entusiasmo por acordos de M&A na área do shale dos EUA, disse a empresa de dados e análise GlobalData  em um novo relatório na terça-feira.

“Em todos os negócios recentes e provavelmente em fusões futuras, há uma parcela significativa em áreas não convencionais envolvidas, especialmente na Bacia do Permiano”, disse Andrew Folse, Analista de Petróleo e Gás da GlobalData.

“Esta bacia continua a ser a área  mais atraente no Lower 48 dos Estados Unidos e oferece períodos de retorno muito competitivos, medidos em meses, ao contrário de projetos offshore onde os períodos de retorno são geralmente medidos em anos.”

Fonte: Oilprice.com

Última modificação em Segunda, 30 Novembro 2020 12:00
Avalie este item
(1 Vote)
Veja algumas métricas do portal.
Subscribe to this RSS feed