Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

Greve nacional petroleira: a mais forte da categoria nos últimos anos

10 Fevereiro Lido 2085 vezes

Greve dos petroleiros completa 10 dias nesta segunda (10), com adesões em 92 unidades do Sistema Petrobrás, em 13 estados brasileiros. Entenda porque é crucial apoiá-la

 

A Petrobrás, uma das maiores empresas do mundo, vem passando por um processo de desmonte que perpassa por diversos governos. No entanto, sob o governo de Bolsonaro, esse processo tem sido aprofundado a passos largos.

Sob o fogo de diversos ataques econômicos, o governo busca o fechamento de unidades, demissões, precarização das condições de trabalho através do desrespeito do Acordo Coletivo de Trabalho, sob a cumplicidade do Judiciário que mediou o conflito.

Não é à toa que a categoria ao entrar em greve no último dia 01/02 tomou como uma pauta central a reversão das demissões de mais de mil trabalhadores, consequência do fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados Araucária, no Paraná (FAFEN-PR).

Nesta segunda, a greve completa 10 dias, com adesão em 92 unidades do Sistema Petrobrás, em 13 estados brasileiros. Cerca de 20 mil trabalhadores estão mobilizados de norte a sul do país.

Já são, portanto, 40 plataformas, 18 terminais, 11 refinarias e mais outras 20 unidades operacionais e 3 bases administrativas com trabalhadores em greve por todo o país.

Num país em que a maior parte da população depende de trabalhos precários para sobreviver, tem de se submeter aos serviços de aplicativos de celular, com jornadas extenuantes, sem direito a férias, ou outros benefícios, a privatização da Petrobrás irá agravar ainda mais essa realidade.

Nesse contexto, motivos não faltam para o enfrentamento desse reacionário governo, seja pelos ataques sindicais aos petroleiros seja pelos ataques de conjunto a classe trabalhadora.

Veja o quadro nacional de greve das bases da FNP:

- Litoral Paulista

Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão (RPBC);
Usina Termoelétrica Euzébio Rocha (UTE-EZR), também em Cubatão;
Terminal Transpetro Alemoa, em Santos;
Terminal Almirante Barroso (Tebar), em São Sebastião;
Unidade de Tratamento e Gás Monteiro Lobato (UTGCA), em Caraguatatuba; e plataformas de Mexilhão, P-66, P-67 e P-69.

- Rio de Janeiro
Plataformas –74, 75, 76 e 77;
Terminal Aquaviário da Bahia da Guanabara (TABG);
Terminal da Bahia de Ilha Grande (TEBIG);
Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ) .

- São José dos Campos
Refinaria Henrique Lages, em São José dos Campos (Revap).

- Manaus
Petroleiros realizam atraso na sede administrativa da UN-AM, em Manaus.

Greve em outros estados:

- Amazonas
Terminal de Coari (TACoari)
Refinaria de Manaus (Reman)

- Ceará
Plataformas - 09
Terminal de Mucuripe
Temelétrica TermoCeará
Fábrica de Lubrificantes do Nordeste (Lubnor)

- Pernambuco
Refinaria Abreu e Lima (Rnest)
Terminal Aquaviário de Suape

- Bahia
UO-BA – 07 áreas de produção terrestre;
Refinaria Landulpho Alves (Rlam);
Terminal Madre de Deus
Usina de Biocombustíveis de Candeias (PBIO)

- Espírito Santo
Terminal Aquaviário de Vitória (TEVIT);
Unidade de tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC)
Sede administrativa da Base 61

- Minas Gerais
Termelétrica de Ibirité (UTE-Ibirité);
Refinaria Gabriel Passos (Regap);

- Rio de Janeiro
Plataformas - 27;
Terminal de Cabiúnas, em Macaé (UTGCAB);
Terminal de Campos Elíseos (Tecam):
Termelétrica Governador Leonel Brizola (UTE-GLB);
Refinaria Duque de Caxias (Reduc)

- São Paulo

Terminal de Guararema

Terminal de Barueri

Refinaria de Paulínia (Replan)

Refinaria de Capuava, em Mauá (Recap)

Plataformas - 04

Torre Valongo - base administrativa da Petrobras em Santos

- Mato Grosso do Sul

Termelétrica de Três Lagoas (UTE Luiz Carlos Prestes)

- Paraná

Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar)

Unidade de Industrialização do Xisto (SIX)

Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FafenPR/Ansa)

Terminal de Paranaguá (Tepar)

- Santa Catarina

Terminal de Biguaçu (TEGUAÇU)

Terminal Terrestre de Itajaí (TEJAÍ)

Terminal de Guaramirim (Temirim)

Terminal de São Francisco do Sul (Tefran)

Base administrativa de Joinville (Ediville)

- Rio Grande do Sul

Refinaria Alberto Pasqualini (Refap)

- Rio Grande do Norte

Polo de Guamaré, Base 34 e Alto do Rodrigues - mobilizações parciais

Quadro nacional da greve – 10/02

40 plataformas

11 refinarias

18 terminais

7 campos terrestres

5 termelétricas

3 UTGC (processamento de gás)

1 usina de biocombustível

1 fábrica de fertilizantes

1 fábrica de lubrificantes

1 usina de processamento de xisto

1 complexo petroquímico

3 bases administrativas

Fontee: FNP

Última modificação em Terça, 11 Fevereiro 2020 10:33
Avalie este item
(9 votes)
0
0
0
s2sdefault
Veja algumas métricas do portal.
Subscribe to this RSS feed