Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

EUA querem "ajudar" o Brasil a melhorar os leilões de petróleo

03 Fevereiro Lido 1939 vezes

Em visita ao Brasil, Secretário de Energia dos EUA diz que quer ajudar a projetar novos leilões comresultados mais conducentes aos desejos do governo brasileiro

 

Leia abaixo matéria da Reuters:

O governo dos EUA está pronto para ajudar o Brasil a projetar leilões de petróleo mais eficazes, disse o secretário de Energia dos EUA neste domingo, após a tentativa do país sul-americano de vender dezenas de bilhões de dólares em direitos de produção a empresas privadas no ano passado fracassaram.

Em novembro, o Brasil, um forte aliado dos EUA sob o presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, tentou vender os direitos a quatro zonas de produção de petróleo no exterior, em um processo que poderia ter aportado cerca de R $ 106,5 bilhões para o governo.

No entanto, apenas duas áreas atraíram licitantes, ambos consórcios liderados pela empresa petrolífera estatal brasileira Petroleo Brasileiro SA.

Enquanto algumas autoridades e executivos do petróleo o consideraram um sucesso qualificado, a maioria considerou um fracasso, culpando a falta de interesse global por regras extremamente complexas de licitação que forçariam qualquer vencedor a negociar com a Petrobras, como é comumente conhecido.

Em entrevista a jornalistas no Rio de Janeiro no domingo, o secretário de Energia dos EUA, Dan Brouillette, reconheceu essas questões e disse que os Estados Unidos estavam preparados para ajudar em qualquer venda futura.

“Vimos o que aconteceu no último leilão, em relação aos blocos. Entendemos, penso claramente, por que alguns investidores podem ter se esquivado disso ”, disse Brouillette.

“E estamos prontos para ajudar, se desejado ou necessário, para ajudar a projetar novos leilões que possam produzir resultados mais conducentes aos desejos do governo brasileiro.”

Brouillette está no Brasil em uma visita oficial focada principalmente na colaboração em energia nuclear.

Na segunda-feira, a Westinghouse, com sede nos EUA, assinará uma carta de intenções com a empresa brasileira de energia nuclear Eletronuclear para ajudar a prolongar a vida útil da usina nuclear de Angra I, perto do Rio de Janeiro.

Reportagem de Gram Slattery; edição por Richard Pullin

Avalie este item
(7 votes)
0
0
0
s2sdefault
Veja algumas métricas do portal.
Subscribe to this RSS feed