Prezado sócio, clique aqui e atualize seus dados para correspondência junto a Aepet
Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

Sem Petrobrax, Parente agora aposta na Statoilbras

18 Dezembro Lido 7212 vezes

Campo de Roncador, um dos maiores do pós-sal, é entregue a preço vil

“Justo quando o pré-sal apresenta os melhores resultados, produto de investimentos de médio prazo da administração passada, o senhor Pullen Parente e séquito acabam de vender 25% do Campo de Roncador para a Statoil. Escancaradamente, entregam as riquezas da Petrobras a preço de farelo de peixe podre.”

O comentário é do geólogo Luciano Chagas, consultor independente, com atuação na área de avaliação de ativos exploratórios. Chagas adverte que a Statoil passará a controlar imensas acumulações no Brasil. “Isso pela bagatela de U$ 2,9 bilhões. Doravante, a empresa poderá se chamar Statoilbras”, critica o geólogo.

“Para os que não sabem, Roncador é um dos maiores campos do pós-sal. Além disso, a Statoil também leva 25% da produção atual do pós-sal, talvez para exportar óleo cru, enquanto a Petrobras e o Brasil importam derivados tornando ociosas nossa refinarias e nos tornando campeões de exportação de matéria-prima, para desastre do nosso parque industrial.”

Lembrando que a Statoil é uma estatal norueguesa, o geólogo pondera que a empresa está se candidatando a ser a maior petrolífera do Brasil, comprando tudo a preços irrisórios. “Não é concebível que isso ocorra, mesmo com o maior nível de tolerância possível. Onde reside a nossa seriedade como nação?”, indaga o geólogo, ponderando que a venda foi feita sem licitação, sob o argumento falacioso de que apenas a Statoil teria expertise sobre a recuperação secundária e terciária, “o que é um absurdo”, resume Chagas.

Analistas do banco o Credit Suisse divulgaram relatório confirmando a opinião do geólogo. “É inegavel que Roncador é um ótimo ativo. Mesmo que considerado maduro, ele continua sendo bem produtivo e com consideravelmente pouca produção de água. Com o investimentos de US$ 2,2 bilhões na área, estimamos que seja possível melhorar o 'recovery factor'. Se isso acontecer, o potencial de valorização pode ser substancial, com a produção podendo aumentar 50% ou mais no mesmo campo.”

Última modificação em Terça, 19 Dezembro 2017 18:32
Avalie este item
(6 votes)
0
0
0
s2sdefault
Veja algumas métricas do portal.
Subscribe to this RSS feed