Artigos

Privatização

Data: 01/06/1999 
PRIVATIZAÇÃO A população da cidade de São Paulo faz pouco tempo talvez uma das menos contrarias à privatização em nosso País, hoje tem todas as razões para ser a mais contrária. Depois que Maluf privatizou a Cia. Municipal de Transportes Coletivos, as passagens de ônibus mais que duplicaram de preço, apesar da baixíssima taxa de inflação do período, enquanto que o transporte coletivo sofreu uma tal deterioração que a população começou a desertar dos ônibus, optando por carros e lotações clandestinos. Depois que FHC privatizou a Telesp, tendo previamente dado um colossal aumento nas tarifas a fim de beneficiar grupos privados, os serviços se deterioraram tanto que o número de reclamações sofreu um aumento de l.OOO% em relação ao último ano de administração estatal. E a privatização da eletricidade já começa a dar o ar de sua graça com apagões que chegam a durar horas. Alegam que é a fase de adaptação... só que em Buenos Aires, passados anos de privatização, a terça parte mais importante da metrópole, o centro da cidade, ficou 9 dias sem luz... Aos desinformados e esquecidos lembramos: a energia foi estatizada no Brasil porque os servicos eram deficientes e caros! Maria Isméria Nogueira Santos - Sao Paulo (SP) (extraído da Tribuna da Imprensa de 7/4/99) Nota: Maria Isméria é ex-diretora da AEPET-SP

Conteúdo Relacionado

Não há conteúdo relacionado.

Tags

Não há tags relacionadas