Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

Nota da FEBRAGEO sobre a Situação de Profissionais na Petrobrás

20 Fevereiro Lido 7300 vezes

A FEBRAGEO vem a público manifestar-se contra o ato de violação à convenção número 98 da OIT

praticado pela atual gestão da PETROBRAS. Nos últimos dias 05 e 08 de fevereiro de 2019, esta empresa, com ampla tradição de respeito às normas trabalhistas, em um ato discricionário prejudicou a carreira profissional de duas profissionais de nível superior, destituindo-as de suas atribuições de consultoras técnicas em função das mesmas pertencerem aos quadros diretivos do Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ). Embora a natureza da função associativa/sindical enseje na necessidade do debate do contraditório, em um regime de respeito à democracia, entendemos que a atual direção da PETROBRAS não se sente confortável com essa realidade.

Assim, a FEBRAGEO se solidariza com a engenheira metalúrgica e de materiais Carla Marinho, detentora de mestrado na sua área de formação profissional e especialista em “Ensaios Não Destrutivos”. A referida profissional trabalha na PETROBRAS desde 2002, estando lotada no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (CENPES) desde 2003. Em junho de 2014, obteve o reconhecimento profissional como consultora, sendo a mesma revalidada pela companhia em 2018, ressaltamos que contra a profissional nada pesa em sua competência, conduta ou ética.

A geóloga Ana Patrícia Laier trabalha na PETROBRAS há quase 19 anos e por conta de seu destaque profissional nas áreas de Petrofísica e Perfis de Imagem foi promovida a função de consultora técnica há pouco mais de oito anos, conforme os processos de valoração profissional estabelecidos na empresa há quase vinte anos. Além dos diversos gerentes e demais profissionais que tiveram que se envolver na concessão e na revalidação periódica baseada em critérios técnicos mensuráveis de sua posição como consultora interna, Patrícia Laier tem também o reconhecimento de seus pares, na comunidade de geociências da empresa, como profissional dedicada e competente.
Enfatiza-se que nada disso mudou desde que ela passou a atuar como dirigente sindical a partir de 1 de junho de 2017, o que pode ser atestado pela recente revalidação e manutenção da sua consultoria em 2018. Patrícia Laier milita no movimento sindical com a mesma empolgação de sua atuação técnica. Garra e destemor não lhe faltam para lutar em defesa da PETROBRAS, da posse do petróleo pelos brasileiros e, em última instância, da construção de um país soberano e de economia pujante.

A história de vida de Patrícia Laier torna ainda mais inaceitável a medida tomada pela direção recém-empossada na PETROBRAS. A punição seria inaceitável para qualquer sindicalista, pois atenta contra a liberdade de organização dos trabalhadores e contra a própria democracia. No entanto, tratando-se de profissionais com competência consagrada, a FEBRAGEO tem mais motivos para expressar seu repúdio e sua indignação.

A punição de Patrícia Laier e Carla Marinho é um ultraje contra o corpo técnico da PETROBRAS, um conjunto de profissionais que ajudou a transformar esta empresa na potência industrial que garante a soberania energética do Brasil há mais de seis décadas. Ficaremos à mercê da definição de "consultorias ideologicamente alinhadas" com cada governo federal que se eleger?
A FEBRAGEO espera que tais ações sejam revistas para o bem da própria PETROBRAS.

São Paulo, 17 de fevereiro de 2019.

Diretoria da Federação Brasileira de Geólogos – FEBRAGEO

Avalie este item
(35 votes)
0
0
0
s2sdefault
Veja algumas métricas do portal.
Subscribe to this RSS feed