Notícias

Dilma, a garota propaganda de Eike Batista

Data: 21/05/2012 
Fonte: PCB

Paulo Schueler*

Em evento promovido pelo empresário Eike Batista, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a Petrobras tem a ganhar se fizer parcerias com a OGX, empresa de petróleo e gás de Eike. Segundo Dilma, "ambas podem ganhar muito com uma parceira entre elas. Estou certa que a OGX tem uma grande contribuição na produção de petróleo offshore no Brasil". Haja óleo de peroba.

Dilma chegou ao ponto de vestir a jaqueta de uma empresa concorrente da “estatal” Petrobras, em agrado a Eike, posando para fotografias que servem para ilustrar as denúncias do ex-diretor de Gás e Energia dapetrolífera comandada pelo governo, Ildo Sauer.

Para Sauer, há favorecimento por parte do Governo, do Partido dos Trabalhadores e da presidente da República ao conglomerado do empresário, inclusive com dilapidação do patrimônio da Petrobras.

Essa teia de interesses teria se acelerado a partir da descoberta do pré-sal. Assessorado por José Dirceu (ex-ministro de Lula), Pedro Malan e Rodolpho Tourinho (ex-ministros de FHC), Eike contrata profissionais da Petrobras que detinham informações mais que privilegiadas sobre a geologia das bacias petrolíferas e de todas as descobertas e estudos sobre as bacias.

Informações que podem ter custado até R$ 2 bilhões em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia da Petrobras - uma empresa cujo número de empregados está próximo a 400 mil enquanto todo o conglomerado EBX, em seu site, afirma ter “20 mil postos de trabalho de trabalho gerados pelos empreendimentos do grupo”.

Grupo que tem na OGX, seu braço petrolífero, uma das “jóias da coroa”, fonte importante da atual conta bancária de Eike e de seus “assessores” e/ou “consultores”. Lembremos de declaração recente de Sauer para a Revista da Adusp:

Hoje ele [Eike] anuncia ter 10 bilhões de barris já, que valem US$ 100 bilhões. Até então, esse senhor Batista era um milionário, tinha cerca de US$ 200 milhões. Todo mundo já sabia que o Pré-Sal existia, menos o público, porque o governo não anunciou publicamente.

Mas como a OGX foi criada e qual sua relação com a descoberta do pré-sal? Voltemos ao ex-diretor, agora em entrevista ao portal Terra:

A partir de 2007, a empresa OGX foi formalmente constituída. Progressivamente, a partir do primeiro momento, o gerente-executivo mais importante, que detinha toda a estratégia da Petrobrás e o acesso a todos estudos que custaram de R$ 200 milhões a R$ 2 bilhões para marcar a geologia de todas as bacias petrolíferas brasileiras, e uma equipe que chegou depois de 10 a 15 pessoas foi saindo. Este primeiro que saiu é o atual presidente da empresa...

[Ildo faz referência a Paulo Mendonça, que trabalhou por mais de 30 anos na Petrobras e lá chegou a gerente executivo de toda a área de Exploração. Sob sua gerência, a "estatal" fez descobertas de mais de 10 bilhões de barris e 50 novos campos, incluindo o Pré-sal, nas bacias de Santos, Campos e Espírito Santo].

Eu separo as responsabilidades em dois grupos: primeiro, a responsabilidade estratégica e política é do presidente da República [Lula] e da chefe da Casa Civil [Dilma] que dava orientação para a ANP. Essa responsabilidade é irrecorrível.

... Lula determinou a retirada de 41 blocos premiados no entorno de Tupi e manteve o leilão [9º rodada de leilões da ANP, ocorrida em novembro de 2007], quando então essa nobre empresa [OGX] conseguiu arrematar por R$ 1,5 bilhão os blocos. Em seguida, se lançou em programas de captação de dinheiro para pagar essas contas. Onze meses depois de criada, ela fez um IPO [abertura de capital] aqui na Bolsa de São Paulo e arrecadou R$ 6,7 bilhões pela venda de 38% do seu ativo que era a equipe vinda da Petrobras e os blocos leiloados por generosidade para manter o leilão do governo."

Tantas benesses fizeram da OGX a maior empresa privada do setor do Brasil, com 35 blocos exploratórios (30 no Brasil e cinco na Colômbia). Mais de 80% de seu portfólio está localizado em águas rasas ou em terra, com custos reduzidos de exploração e produção. Uma tremenda doação dos governos petistas ao empresário.

O fato de Dirceu, Malan e Tourinho terem passado informações estratégicas a Eike não é de se estranhar. Sobre eles, cabe a citação do saudoso Barão de Itararé: "O homem que se vende recebe sempre mais do que vale".

Eike, aliás, tem "fontes" primorosas: seu pai foi nada mais nada menos que ministro das Minas e Energia, e depois presidente da Vale durante a sinistra Ditadura Militar. Teve, enfim, enormes facilidades para construir sua fortuna e se tronar o bilionário mais querido (por quem busca doações eleitorais) do país!

Por isso o estupor com as declarações de Dilma. Já não basta o que foi espoliado da Petrobras? O Palácio do Planalto é serviçal de Eike em sua jornada para se tornar o homem mais rico do mundo? Não cabe ainda mais entreguismo a financiar delírios de grandiloquência do playboy de cabelo acaju.

Cabe então a pergunta: é a Petrobras ou são alguns próceres dos altos escalões da República, futuros "consultores" de Eike, que têm a ganhar com essa "parceria"? Responda, presidente.

*Paulo Schueler é membro do Comitê Central do PCB

Conteúdo Relacionado

Não há conteúdo relacionado.

Tags

Não há tags relacionadas