Artigos

O iminente choque energético

Data: 04/07/2017 
Fonte: peakprosperity.com Autor: Chris Martenson - Tradução: Alex Prado

Haverá um déficit de oferta de petróleo extremamente doloroso em algum momento entre 2018 e 2020. Será altamente prejudicial para o nosso sistema financeiro global com excesso de alavancagem, dado ao grau recorde dívidas e IOUs não financiadas.


Devido a uma redução maciça nos gastos de capital no negócio global de petróleo em 2014-2016 e continuando até 2017, o mundo em breve encontrará menos petróleo saindo do solo, entre 2018-2020.


Porque o petróleo é a força vital da economia de hoje, se houver menos óleo, os choques de preços são inevitáveis. É muito provável que veremos os preços subirem acima de US $ 100 por barril. Possivelmente em breve.


A única maneira de evitar esse choque de preços por meio da oferta é se a economia mundial colapsar primeiro, arrastando a demanda para baixo.


Não é exatamente uma ótima "solução" para a esperança.

Escolha seu veneno

É por isso que nossa visão contempla:


1- A economia mundial supera o petróleo disponível em algum lugar no período de 2018 a 2020, ou


2- A economia mundial colapsa primeiro, empurrando um choque do preço do petróleo por alguns anos (ou mais, dada a severidade do colapso)


Se (1) acontecer, o pico do preço do petróleo resultante colocará de joelhos uma economia mundial já carregada pelos níveis mais altos de dívida já registrados, totalizando atualmente cerca de 327% do PIB:

Lembre-se, em 2008, o óleo aumentou para US $ 147 por barril. O resto é história - uma enorme crise de crédito se seguiu. Embora houvesse uma montanha de dívida centrada em empréstimos subprime nos EUA, o que trouxe pôs a Grécia de joelhos não foi dívida de habitação dos EUA, mas sua própria pilha de dívida insustentável, acoplada a uma dependência de 100% do petróleo importado - o que, figurativamente e, literalmente, quebrou a banca.


Se (2) acontecer, então o preço do petróleo diminui, isto senão desabar. A demanda desaparece, o negócio do petróleo reduz os investimentos de exploração / extração ainda mais, de modo que, muito mais tarde, quando a economia global estiver tentando se recuperar, ela se depara com uma insuficiência de oferta ainda mais severa. Tornando-se extremamente difícil obter um crescimento sustentado do PIB.


 

Se você realmente quer entender por que eu mantenho esses pontos de vista, você precisa entender e digerir completamente esse próximo gráfico. Mostra a relação linear incrivelmente estreita entre o crescimento econômico e o consumo de energia:

Este gráfico acima diz que, se você quer uma unidade adicional de crescimento econômico, você precisará ter uma unidade adicional de energia. Mais crescimento significa mais energia consumida.


E hoje, o petróleo ainda é a fonte mais importante de energia. É, de longe, a fonte de energia dominante para o transporte. Uma economia global, afinal, não é nada mais do que coisas sendo feitas e depois movidas, muitas vezes a enormes distâncias. Apesar do que você pode ler sobre desenvolvimento de outras formas de energia, nossa dependência do petróleo ainda é enorme.


Como resultado do início do declínio do preço do petróleo em 2014, o mundo viu um mergulho histórico nos investimentos de petróleo (exploração, desenvolvimento, CAPEX, etc.), já que as empresas em todo o mundo retraíam, atrasavam ou cancelavam projetos de petróleo:

No gráfico acima, observe as duas quedas sucessivas no investimento de petróleo de 2014 a 2015 e, novamente, até 2016. Até agora, 2017 está encaminhando para outro declínio, que marcará um declínio sucessivo de três anos no investimento pela primeira vez na história do petróleo. Então, o que está acontecendo aqui é bastante incomum.


Isso não é apenas uma queda. É uma queda histórica.


Ainda não sabemos o quanto o investimento no petróleo irá diminuir em 2017, mas provavelmente está bastante próximo das taxas observadas nos dois anos anteriores. Em seguida, tome nota da flecha azul pontilhada no gráfico. Veja até que ponto o investimento em petróleo subiu durante os anos de 2009 a 2014? Não é uma duplicação, mas também não está longe disto. Lembre-se desses anos, eu retornarei a eles em algum  momento.


A questão-chave a perguntar sobre o período 2009-2014 é: quanto de petróleo novo foi descoberto com todas essas despesas?


A realidade: não muito.

Praticamente Sem Descobertas


Há uma regra dura e rápida no negócio de petróleo: antes de poder bombear, você deve encontrá-lo.


 

O crescente problema aqui é que as descobertas do petróleo foram horríveis em 2016, realmente ruins em 2015 e terríveis em 2014. Esse recente trecho de três anos é o pior da série de dados:

Mais uma vez: você tem que encontrá-lo antes de poder bombear. E em todo o mundo, as empresas de petróleo não estão encontrando o quanto costumavam fazer.


Lembre-se da linha pontilhada azul no gráfico de investimento de óleo acima? Aqui está a sua contrapartida, mostrando descobertas no mesmo período - é apenas uma queda direta:

As descobertas mundiais do petróleo caíram em um recorde histórico em 2016, já que as empresas continuaram a reduzir os gastos e os projetos de petróleo convencionais ao nível mais baixo em mais de 70 anos, de acordo com a Agência Internacional de Energia, que alertou que ambas as tendências poderiam continuar este ano.


As descobertas do petróleo diminuíram para 2,4 bilhões de barris em 2016, em comparação com uma média de 9 bilhões de barris por ano nos últimos 15 anos. Enquanto isso, o volume de recursos convencionais para o desenvolvimento no ano passado caiu para 4,7 bilhões de barris, 30% menor que o ano anterior, já que o número de projetos que receberam uma decisão final de investimento caiu para o nível mais baixo desde a década de 1940.


Agora está claro por que as empresas de petróleo retiraram seus dólares de investimento tão rapidamente quando os preços caíram: eles estavam gastando mais e achando menos durante o período 2009-2014, então eles já estavam sentindo a dor de retornos decrescentes. Quando o preço do petróleo rachou abaixo de US $ 100 por barril, eles não desperdiçaram tempo em seus dólares de investimento.


Devemos nos preocupar com este nível mais baixo do financiamento do projeto de petróleo em 70 anos? Sim, devemos. Todo mundo deveria:


"Nossa análise mostra que estamos entrando em um período de maior volatilidade do preço do petróleo (em parte) como resultado de três anos seguidos de investimentos globais em petróleo em declínio: em 2015, 2016 e provavelmente 2017", disse o diretor-geral da IEA, Fatih Birol, falando em uma conferência de energia em Tóquio.


"Esta é a primeira vez na história do petróleo em que os investimentos estão em declínio três anos seguidos", disse ele, acrescentando que isso causará "dificuldades" nos mercados mundiais de petróleo em alguns anos.


 

Para dar uma visão do processo, aqui está um gráfico para ajudá-lo a entender por que leva anos entre fazer uma pesquisa inicial e produção máxima:

Isto é o que se repete: o petróleo é a substância mais importante para a nossa economia, estamos queimando mais dele anualmente do que nunca, e acabamos por encontrar a menor quantidade desde que a economia mundial foi várias vezes menor do que é agora. E tudo isso está acontecendo enquanto estamos reduzindo nossos esforços para encontrar mais, numa taxa sem precedentes.


Não há como acelerar o processo de descoberta e extração de petróleo de forma significativa, não importa quanto dinheiro e mão de obra você lance. Ele simplesmente exige que muitos anos se passem entre um furo de teste positivo para um programa de extração e distribuição / transporte totalmente operacional que funcione no máximo.


Na Parte 2: Preparando-se para o Choque, fornecemos a evidência que mostra por que até 2019, ou 2020, os preços do petróleo terão forçado uma nova crise no mundo.


Mais crescimento econômico requer mais energia. Sempre foi  e sempre será. O óleo é a forma mais importante de energia de todas. Mas todos assumem - especialmente hoje, quando parece que estamos "inundados" nele, dado o excesso de oferta atual - que sempre teremos acesso ao quanto nós precisamos.


Esse não será o caso, em breve. E você é um dos poucos a entender o porquê.


Você consegue usar essa consciência para tomar decisões conscientes sobre sua própria vida aqui e agora. Você pode posicionar-se para a segurança, bem como aproveitar o que  provável que sejam oportunidades de investimento únicas na vida.


Mas você também precisa se preparar para aqueles que estão na sua vida, como a maioria das outras pessoas hoje, que não têm habilidade, visão ou capacidade de se juntar a você nesta fase inicial.







Conteúdo Relacionado

Não há conteúdo relacionado.

Tags

Não há tags relacionadas