Rio de Janeiro,
Notícias

PGR pede inconstitucionalidade de lei que permite terceirização da atividade fim

Data: 30/06/2017 
Fonte: MPF Autor: MPF

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que declare inconstitucional a Lei 13.429/2017, sancionada em março deste ano, que possibilita a contratação irrestrita de terceirizados na atuação finalística das empresas e em atividades permanentes. Para o PGR, a lei contraria o caráter excepcional do regime de terceirização e viola o regime constitucional de emprego socialmente protegido, além de  esvaziar os direitos fundamentais conferidos ao trabalhador.

Na Ação Direta de Inconstitucionalidade 5735, enviada ao STF, Janot destaca que as alterações promovidas pela Lei 13.429/2017 na Lei 6.019/1974 – que regulamenta o trabalho temporário e a terceirização -  invade o espaço próprio do regime geral de emprego direto, dotado de proteção pela Constituição Federal. Além disso, ao ampliar de forma “ilegítima e desarrazoada” o regime de locação de mão de obra temporária, para além de hipóteses estritamente necessárias à empresa tomadora dos serviços, afronta a cláusula constitucional que impede o retrocesso social desarrazoado e vulnera normas internacionais de direitos humanos.

Diante do risco social que a lei representa, o PGR pede que o STF conceda liminar para suspender imediatamente seus efeitos. Isso porque, segundo ele, a vigência da lei abre espaço para que milhares de postos de emprego direto sejam substituídos por locação de mão de obra temporária e por empregos terceirizados em atividade finalística, “com precaríssima proteção social”. 

Para ele, esse tipo de contratação fere o regime de emprego constitucional e, por conseguinte, a proteção social constitucionalmente destinada aos trabalhadores, conforme sustenta. Além disso, ele argumenta que a eventual substituição de postos de trabalho pode ser de difícil reversão, com impacto direto na vida dos trabalhadores.

Na inicial da ADI, o PGR sustenta, ainda, que as alterações promovidas pela lei esvaziam os direitos fundamentais conferidos pela Constituição aos trabalhadores e vulneram o cumprimento, pelo Brasil, de normas internacionais, como a Declaração de Filadélfia, as Convenções 29 e 155 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Pacto de São José da Costa Rica, a Carta da Organização dos Estados Americanos e o Pacto Internacional sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais.

Inconstitucionalidade material –  Na ação, Janot contesta o dispositivo que autoriza a terceirização irrestrita da atividade finalística de empresas privadas e de órgãos e entes da administração pública. Para ele, além de violar o regime constitucional de emprego socialmente protegido, a norma fere a função social das empresas, o princípio isonômico e a regra do concurso público nas empresas estatais exploradoras da atividade econômica. 

Para o PGR, também é inconstitucional a “ampliação desarrazoada” do regime de locação de mão de obra temporária, para atender atividades previsíveis e normais das empresas tomadoras do serviço (artigo 2º). Com a alteração, passa a ser possível o uso do trabalho temporário não apenas em situações imprevisíveis ou extraordinárias, mas para o antedimento de atividades permanentes, o que fere princípios constitucionais e desvirtua a finalidade desse tipo de contratação. 

O PGR contesta, ainda, o dispositivo que triplica o prazo máximo do contrato de trabalho temporário com a mesma empresa (parágrafos 1º e 2º do artigo 10), passando de três para nove meses, o que corresponde a três quartos do ano. “À empresa tomadora torna-se factível utilizar permanentemente o trabalho temporário em todas as suas atividades intermitentes, periódicas ou sazonais, apenas administrando rodízio de contratos com o mesmo trabalhador”, sustenta. 

Inconstitucionalidade formal – Na inicial da ADI, o PGR também sustenta que a Lei 13.429/2017 é formalmente inconstitucional por vício de tramitação do projeto. Isso porque, segundo ele, a Câmara dos Deputados não apreciou, antes da votação conclusiva, o requerimento feito em 2003, pelo então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que pedia a retirada da proposta legislativa. Para o PGR, a recusa de apreciação do requerimento, por parte do Legislativo, afronta a divisão funcional dos poderes, visto que é garantia constitucional do presidente desistir da proposição e submeter ao Congresso tal pedido. 

Conteúdo Relacionado

Tags

Petróleo Política Óleo Leilão Greve dos Petroleiros Ciência e Tecnologia AEPET Aposentadorias Aposentados Leilão de Libra Leilão de Xisto Gás de Xisto Campanha Salarial Crise na OGX Direitos Humanos Direitos Trabalhistas Desigualdade Social Educação Meio Ambiente Europa EUA Greve História Justiça Manifestações Mercosul Transporte Tortura Terceirização Violência Venezuela Economia Saúde Amazônia Pré-sal Benefícios Faixa Livre Comperj Cuba Governo Água Universidade Irã Emprego Síria Brasil Unaí Biografia processos ações Heitor Manoel Pereira Fernando Siqueira Diomedes Cesário Silvio Sinedino Ronaldo Tedesco Diretoria ANIVERSÁRIO Diretoria AEPET CPI dos ônibus SÓCIO sindipetro francisco soriano O Brasil hoje João Victor Campos Petrobras EPC Situação do Brasil hoje Previdência Social Brics corrupção O GLOBO serviços contratos EPC custo de produção pré-sal Eleições na AEPET Comissão da Verdade geopolítica plebiscito balanço da Petrobrás Polícia Militar Ricardo Maranhão produção da Petrobrás carta aos presidenciáveis desmonte Fenaspe Clube de Engenharia Eleições Facebook Ficha limpa Shell ABI ONU correção do FGTS Petrobrás operadora única José Carlos de Assis Paulo Metri Corrupção na Petrobrás Dilma Rousseff Emídio Rebelo Filho Reforma Trabalhista Momento político Felipe Coutinho Defesa da Petrobrás STJ Reforma política Anselmo Gois Edital de convocação diretoria 2015 - 2017 Monopólio Atentado na França Movimento em Defesa da Petrobrás Grécia Aliança pelo Brasil liquidação de ativos Petros Assembleia de acionistas Momento econômico Maioridade penal Morte da Maria Augusta Tibiriçá Mobilização dos trabalhadores Dia do jornalista Complexo do Alemão Conselho Deliberativo AEPET Bruno Terribas Dia do Índio Dia de Tiradentes Descobrimento do Brasil Reforma eleitoral Trabalhadores AEPET Direto Reajuste fiscal CPI HSBC Situação da UFRJ Escolha Ministro do Supremo Negociação dos servidores como o governo Situação precária da UERJ Desligamento do Cabo Daciolo do PSOL Campanha pela descriminalização das drogas Paulo Moreira Leite PDT Reforma Política AEPET apresenta 14 razões em defesa da Petrobrás como operadora única do pré-sal Operadora única Greve na ADUFRJ Audiência pública sobre o documento da AEPET sobre o pré-sal Reforma da Previdência Troca-troca de partidos EBSERH Violência contra professores Ocupação na Câmara Conselho Universitário- EBSERH Novos partidos Governo Vargas Senado PSB Espionagem Política brasileira Depoimento de torturadores na Comissão da Verdade do RJ CPI na Câmara Papa Situação da China Situação da Grécia Pré-sal no Senado Desinvestimento da Petrobras Vendas de aditivos da BR Vendas de ativos da BR Greve da Eletrobras Ativos da Petrobras Médicos x Governo Dilma Ato em defesa da Petrobras Congresso Dívida Paralização Votação Carta Capital Seminário Lava-Jato Capitalismo UERJ Veto Servidor público Ministério do trabalho Troca de partido do PSOL para a REDE Politica Documento da AEPET sobre proposta de José Serra José Serra Alex Prado Livro sobre condições de trabalho CLT saúde socialismo Pedro Pinho Arnaldo Jordy Donald Trump Abuso de autoridade Gleinn Greenwald Assembleia Operação carne fraca Momento político do Brasil e do Mundo Ação contra o Colégio Pedro II Foro privilegiado Reforma previdenciária PF realiza operação que leva Picciani a depor e prende membros do Tribunal de Contas do Estado Inglaterra sai da EU e Escócia quer sair do reino Unido AEPETV Dorodame Moura Leitão Osvaldo Neves Liquigás Frente Nacionalista
Av. Nilo Peçanha, 50 - Grupo 2409
Centro - Rio de Janeiro-RJ CEP: 20020-100
Telefone: 21 2277-3750 - Fax 21 2533-2134
Compartilhe
AEPET - Associação dos Engenheiros da Petrobrás Desenvolvido por Arte Digital Internet