Em defesa da PETROBRÁS

O Mito da “Petrobras quebrada”

Data: 15/05/2017 
Autor: Rogério Lessa

No primeiro artigo da série que pretende esclarecer a opinião pública sobre a real situação da Petrobrás, o presidente da AEPET, Felipe Coutinho, e o economista Cláudio Oliveira demonstram o indisfarçável interesse do governo, da atual diretoria da empresa e da mídia hegemônica em se apropriar de problemas conjunturais para vender a ideia de que a Companhia estaria "quebrada". 

 

Exemplos dessa manipulação são o uso da dívida da empresa, turbinada pela alta do dólar e já beneficiada pela recente queda na cotação, e a crítica ao nível de investimentos necessários para viabilizar a transformação das riquezas do pré-sal em lucro para a Petrobrás e desenvolvimento socioeconômico para o Brasil.

 

"A dívida das multinacionais do petróleo, como Chevron, Exxon, BP, Shell e Total, é inferior à da Petrobras porque  elas não têm bons projetos para investir.  Se  tivessem  acesso  a províncias como a do pré-sal, seriam compatíveis e até maiores do que a dívida da Petrobras.", afirmam os articulistas.

 

O próximo artigo irá tratar do PNG 2017/21 e das "parcerias estratégicas". 

 

Clique aqui para ler o texto na íntegra. 

 

 

Conteúdo Relacionado

Não há conteúdo relacionado.

Tags