Notícias

AEPET se une a senadores em defesa da Petrobrás

Data: 27/01/2017 
Autor: Rogério Lessa

Em nome da liderança da minoria do Senado, o senador Lindberg Farias  solicitou reunião com a AEPET, nesta sexta-feira (27), em seu gabinete no Rio, situado no mesmo prédio da sede da AEPET. Segundo o vice-presidente da AEPET, Fernando Siqueira, a reunião foi proposta tendo em vista que os senadores de oposição, como Vanessa Graziotin, Roberto Requião, João Capibaribe, Randolfe Rodrigues, e o próprio Lindberg, entre outros, estão muito preocupados com o entreguismo do governo Temer, principalmente no que se refere ao petróleo. 

 

"Eles consideram que as reformas trabalhista e da Previdência, que agridem brutalmente os direitos dos trabalhadores, estão servindo de biombo para a entrega do bem mais valioso do nosso país, que é o petróleo, mormente as imensas reservas do pré-sal", disse Fernando.

 

"Enquanto isso, os brasileiros, estarrecidos, discutem e se voltam para combater essas duas reformas citadas, o governo providencia a entrega do pré-sal usando o senhor Pedro Parente, um elemento que, no passado, como conselheiro da Petrobrás, comandou um processo de desmonte e desnacionalização da empresa."

 

Como exemplo dessa postura de Parente, Siqueira citou: a venda de 36% das ações da Companhia na bolsa de Nova Iorque pelo irrisório montante de US$ 5 bilhões (quando valiam mais de US$ 100 bilhões) e a divisão da Companhia em 40 unidades de negócios para transformá-las em subsidiárias e privatizar. "Chegou-se a vender a primeira através de uma troca de ativos com a Repsol, irmã caçula do cartel do petróleo", prosseguiu o vice da AEPET, ponderando que na época tentou-se mudar também o nome da empresa para Petrobrax.

 

"Agora, o senhor Parente retoma o processo e está vendendo ativos altamente estratégicos como a BR Distribuidora, a Gaspetro, o campo de Carcará, parte dos campos de Iara e Lapa, e, no seu pacote de maldades, deu de presente para a Total a participação no campo de Xerelete."

 

Assim, os senadores de oposição pretendem impetrar ações judiciais contra a retomada desse processo, que está resultando no avassalador desmonte da Companhia e solicitam informações da AEPET. Para tanto, está sendo programado um seminário em Brasília com a presença da AEPET, da FUP e, por sugestão da AEPET, a participação de ex-diretores da Petrobrás, como Guilherme Estrella e Ildo Sauer, entre outros. 

 

Na reunião, foi entregue ao senador um esboço do voto a ser proferido na AGE de 31 de janeiro contra a venda da Liquigás e da PQS, no qual a AEPET faz um apanhado das vendas já realizadas de ativos estratégicos.

Conteúdo Relacionado

Não há conteúdo relacionado.

Tags

Não há tags relacionadas