Em defesa da PETROBRÁS

O irrisório valor de venda da Liquigás

Data: 26/01/2017 
Autor: Alex Prado

AEPET considera um erro estratégico vender a Liquigás, seu braço de distribuição de GLP, pelas seguintes razões:


1) Liquigás é uma empresa lucrativa: em 2015 teve um LUCRO LÍQUIDO de R$ 114 milhões, 116% superior ao lucro de 2014 (R$ 53 milhões) [a];


2) Liquigás é uma empresa saudável que vem crescendo em todos seus indicadores econômico-financeiros desde 2012. Por exemplo, o EBIDTA/Dívida Bruta fechou em 1,5 no final de 2015 [a];


3) Liquigás é uma empresa em expansão. O segmento de mercado de GLP em que a Liquigás é líder (botijões P13) é relativamente inelástico mesmo durante períodos de crise econômica, dado que boa parte do consumo (80,0% em 2015) é GLP envasa o qual se destina à cocção de alimentos e aquecimento de água domiciliar, atividades essenciais para a população. Segundo o PNG 2016-2020 da Liquigás previa-se um forte investimento de R$ 520 milhões para ampliar o volume de vendas à razão de 1,5 % ao ano [a]. Com um EBIDTA de R$ 214 milhões no exercício de 2015, as necessidades de financiamento externo são mínimas;


4) Liquigás é uma empresa com excelente imagem no mercado: em 2016, na edição "As 1000 maiores empresas" da Revista Isto É Dinheiro, a Liquigás apareceu na 2ª colocação entre as melhores empresas, no ranking Responsabilidade Social, no quesito Inovação e Qualidade e em Recursos Humanos, conquistando ainda o 3º lugar em Sustentabilidade Financeira e a 1º posição em Governança Corporativa. Em 2014 recebeu o prêmio GLP de Inovação e Tecnologia e a Certificação de Saúde e Segurança Ocupacional (SMETA). Dentre mais outras premiações e reconhecimentos, recebeu o Prêmio Top Consumidor por sete anos consecutivos [b].


5) Liquigás é uma empresa comprometida com seu quadro de funcionários: enquanto a Petrobras (HOLDING) manipulava seus resultados para não pagar  PLR aos seus empregados, a Liquigás distribuiu R$ 25 milhões entre seus 3188 funcionários (média de 7900 reais). Neste quadro enxuto de empregados, apenas 5% do total ocupam funções gerenciais [c];


6) Liquigás é uma empresa estratégica para o negócio principal da Companhia (produção de destilados em refinarias e processamento de gás natural): em 2015, a Liquigás comprou GLP da Petrobras por R$ 2,2 bilhões, totalizando 1,65 milhões de toneladas [a]. Por exemplo, estoques elevados de GLP podem inviabilizar o funcionamento das UPGNs e, por conseguinte, a produção de petróleo do Pré-Sal. Os concorrentes do segmento de distribuição sabem disso e podem se aproveitar do fato para negociar preços convenientes aos seus anseios de lucro. Um braço próprio de distribuição de GLP é uma forma de limitar o assédio das concorrentes;


7) Liquigás é uma empresa comercialmente inovadora, um exemplo disso é o caso do produto PUROGÁS, primeiro gás propelente com elevado grau de pureza comercializado no país, adequado para uso como propelente em aerossóis. A empresa investiu em uma planta de purificação em Capuava, agregando valor ao produto distribuído para grandes grupos da área de cosméticos;


8) Liquigás tem o potencial de frear a formação de cartéis no setor de distribuição de GLP em benefício da população: apenas 23% do preço do botijão pago pelo consumidor é apropriado pela Petrobras (holding) na produção de GLP. Entre revenda e distribuição são alocados 58% do preço final [d]. Uma vez que a Liquigás está presente em 23 estados brasileiros (exceto Amazonas, Acre e Roraima), cobrindo 83% dos municípios do país, sob o controle da Petrobras e sendo líder no segmento de venda de botijões, a empresa tem importante papel no atendimento da população da periferias das capitais onde a rede canalizada estadual não chega, protegendo os consumidores da formação de cartéis de outras distribuidoras. O Grupo Ultrapar, ofertante na operação de aquisição, já possui 23% do mercado, além contar com uma rede própria de 5100 de revendedores da Ultragaz/Brasilgás. Para os consumidores não é uma boa notícia a formação de uma megadistribuidora/revendedora controlando quase metade da oferta de GLP. Em alguns municípios Brasil adentro ocorrerá um monopólio no estrito sentido da palavra. Neste contexto é compreensível a crítica da Associação Brasileira de Revendedores de GLP (ASMIRG-BR) à fusão da Liquigás com a Ultragaz [f].


9) O valor a ser pago pelo Grupo Ultrapar na transação (R$ 2,67 bilhões) é insignificante diante do montante dívida da Petrobras, facilmente absorvível numa variação de câmbio de uns poucos centavos por dólar. Não pode ser ignorado o fato do atual Diretor Financeiro da Petrobras (Ivan Monteiro, forte promotor da política de venda de ativos) ter integrado o Conselho de Administração do Grupo Ultrapar até 15/02/2015, imediatamente antes de assumir seu cargo na Petrobras [e].


10) Pela Resolução 15/2005 da ANP, art.21, cada distribuidora só pode envasar em recipientes com a sua marca estampada em relevo. Existem 24,9 milhões de botijões P-13 com a marca de Liquigás em mãos de consumidores brasileiros, o que constitui de fato uma reserva de mercado, pois não é possível usá-los por outras distribuidoras sem consentimento da Liquigás. O Grupo Ultrapar terá acesso a esse mercado sem investir em novos vasilhames. Considerando que cada vasilhame novo custa R$ 107, a economia da Ultragaz será de R$ 2,66 bilhões para atingir esses consumidores, quase o valor ofertado pelo restante da empresa (instalações, marca, etc.). Isto é, estão levando a empresa de graça.


Em síntese, a participação do controle do segmento de distribuição agrega valor à cadeia produtiva da Petrobras ao tempo que protege a empresa e os consumidores das distorções do mercado provocadas pela concentração em poucas empresas.

 

[a] http://appweb.liquigas.com.br/relatorioanual/2015/pt/download/Relatorio-de-Administracao-e-Demonstracoes-Contabeis-2015.pdf

[b] http://appweb.liquigas.com.br/relatorioanual/2014/pt/11.htm

 

[c] http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cme/audiencias-publicas/2016/07-07-2016-venda-da-liquigas-distribuidora-s-a/apresentacoes/liquigas

 

[d] http://www.petrobras.com.br/pt /produtos-e-servicos/composica o-de-precos/gas-liquefeito-de- petroleo-glp/

 

[e] http://www.ultra.com.br/RI/Sho w.aspx?IdMateria=648icnCn0Qpj5 zxUJAIgpg==&IdCanal=PKWU0pxjs+ ElvxVBVYHguA==

 

 

[f] http://www.asmirg.com.br/notic ias/2016/05/brasil-podera- sofrer-maior-golpe-de-sua- historia-com-a-venda-da-liquig as/


 

Conteúdo Relacionado

Não há conteúdo relacionado.

Tags

Não há tags relacionadas