Notícias

Pré-sal operado pela Petrobrás faz do Brasil o segundo maior produtor offshore do mundo

Data: 27/10/2016 
Fonte: Oilprice.com Autor: Tradução: Alex Prado

De acordo com novos dados da Agência Internacional de Energia (AIE), a produção mundial de petróleo offshore em 2015 estava no nível mais alto desde 2010, e foi responsável por quase 30 por cento da produção mundial total. A produção de petróleo offshore aumentou em 2014 e 2015, revertendo quedas anuais consecutivas entre  2010-2013. E, graças à produção operada pela Petrobrás no pré-sal, o Brasil já é o segundo maior produtor offshore.


Já a produção de petróleo em terra  tem aumentado a uma taxa superior ao longo dos últimos anos, sendo responsável por uma quantidade crescente de produção total de petróleo.


A maioria da produção offshore é em águas rasas, mais barato e tecnicamente menos desafiadora, mas também tem havido um movimento para projetos de águas profundas. A perfuração exploratória em águas mais profundas é mais cara e mais complexa para as empresas, mas os avanços tecnológicos e o esgotamento de perspectivas mais rasas têm levado as empresas a explorar águas cada vez mais profundas, particularmente no Brasil e no Golfo do México.


Uma quantidade significativa de produção offshore global está concentrada em poucos países. Em 2015, cinco países forneceram 43% da produção total de petróleo offshore: Arábia Saudita, Brasil, México, Noruega e Estados Unidos.


A Arábia Saudita é o maior produtor offshore do mundo, com  vários grandes campos, incluindo o campo de  Safaniya, que produz entre 1,1 e 1,5 milhões de barris por dia e é o mais produtivo do mundo. A Arábia Saudita é responsável por 13 por cento da produção offshore total.


A produção offshore brasileira cresceu 58 por cento entre 2005 e 2015, fazendo do Brasil o segundo maior produtor da costa, em 2015. Esse crescimento foi impulsionado predominantemente pela expansão dos projetos do pré-sal, que devem seguir elevando esta produção nos próximos anos.


O México é atualmente o terceiro maior produtor offshore, mas em declínio. Entre 2005 e 2015 a produção caiu 31%. O país  produziu cerca de 2 milhões de barris por dia em 2015, o que representa 7 % da produção offshore global.


A produção offshore da Noruega diminuiu 28% entre 2005 e 2010, mas manteve-se estável desde 2010, com 7% da produção global. 


Já produção offshore dos  Estados Unidos tem sido impulsionada pela forte produção recente no Golfo do México. Entre 2005 e 2015, a produção offshore total cresceu de 6,5%. Com vários grandes projetos que devem entrar em operação neste ano 2017, é esperado que o Golfo do México aumente ainda mais a produção offshore dos EUA. Em contraste, produção em terra terá uma queda de 0,8 milhões de barris por dia em 2016 e de 0,3 milhões de barris por dia em 2017.


Conteúdo Relacionado

Tags

Petróleo Política Leilão Ciência e Tecnologia AEPET Aposentadorias Aposentados Leilão de Libra Campanha Salarial Educação EUA Greve Venezuela Economia Privatização Pré-sal Fundos de Pensão Faixa Livre Universidade Brasil Ucrânia PT Fernando Siqueira Silvio Sinedino Vila Autódromo STF Luis Nassif Petrobras Guilherme Estrella Paulo Passarinho Opep petroleo Colômbia Previdência Social leilões economia brasileira Cultura conteúdo nacional fundo social Ildo Sauer exportações desenvolvimento Modecon Desenvolvimento Sustentável pesquisa USP petróleo e desenvolvimento indústria do petróleo Eike Batista Ricardo Maranhão produtividade delação premiada Clube de Engenharia Eleições Terrorismo PNAD lobistas UFRJ ABI regime de partilha Raul Tadeu Bergmann José Carlos de Assis Paulo Brandão conselheiros fundos de pensão Momento político Felipe Coutinho Adriano Benayon PSDB Caso Celso Daniel Grécia Roberto Amaral Impeachment Momento econômico Maioridade penal Manifesto em defesa da Petrobras Prêmio OTC Fernando Brito Urnas eleitorais Desoneração fiscal Operadora única Greve dos bancários Situação dos médicos nos planos de saúde André Araújo Greve de professores Turquia Lei Greve da Eletrobras Petrobrás Ativos da Petrobras FNP Olimpíadas Petrobrás UERJ Cunha BR Distribuidora Bernardo Kocher Emanuel Cancella Edson Monteiro Samarco produção Drogas OSs 14 Razões Chernobil Taxa de juros Maluf Fundo Soberano Plano econômico Calamidade no Rio de Janeiro Pedro Pinho filme Rita Freire Partido novo Segundo turno Marcelo Freixo Vitória de Trump Estado do Rio da falência à prisão de seus moradores