Notícias

Em 10 anos Brasil será líder no setor naval

Data: 21/08/2014 
Autor: Rogério Lessa

O Brasil terá uma indústria naval de ponta em um período de sete a dez anos. Quem garante é o coordenador executivo do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) e assessor da presidência da Petrobras para Conteúdo Local, Paulo Sergio Rodrigues Alonso, que participou em São Paulo de evento sobre a indústria naval. 

Ao AEPET Direto, Alonso lembrou que os estaleiros da Coreia do Sul levaram o triplo do tempo para atingir o estágio atual, que é de liderança. No entanto, o engenheiro ressalva que primeiro é necessário que sejam superados desafios como a melhoria do planejamento e gestão e da produtividade, a integração das cadeias de suprimento, o investimento em pessoal, a modernização da construção e montagem e o resgate da engenharia industrial.

Um dos segredos do sucesso do Prominp são as exigências de conteúdo local. Alonso garante que o governo coordena a realização de leilões, pela ANP, com a capacidade de produção da indústria nacional. 

Desde 2003, ano de lançamento do programa, a indústria naval brasileira já criou mais de 78 mil empregos e construiu 10 estaleiros e 17 canteiros para construção de módulos de médio e grande portes. Até 2020, estão previstas mais 38 plataformas, 28 sondas, 146 barcos de apoio e 88 navios de grande porte destinados à indústria de petróleo e gás.

Os cursos de qualificação viabilizados pelo Prominp capacitaram 97 mil profissionais em 185 categorias voltadas para a indústria de petróleo e gás, desde 2003. Há também parcerias importantes nesta área, como as celebradas com a Marinha Mercante, em 2009, que viabilizaram a modernização das instalações dos centros de treinamento da Marinha do Brasil e a ampliação significativa da formação de oficiais para a Marinha Mercante.

Conteúdo Relacionado

Tags