Notícias

Petros é destaque no 8º Congresso da FNP

Data: 18/08/2014 


No segundo dia do 8º Congresso Nacional da FNP aconteceu mais uma rodada de assuntos relacionados ao plano de previdência dos petroleiros, a Petros. Com o tema definido “Situação da Petros, Garantias AMS como Direito Inegociável”, a mesa, formada por Agnelson Camilo, do Sindipetro PA/AM/MA/AP, Ronaldo Tedesco Vilardo, conselheiro fiscal da Petros (CF), Marcos André dos Santos, suplente de Tedesco, Alealdo Hilário, do Sindipetro –AL/SE e Paulo Brandão, do conselho deliberativo da entidade (CD), detalhou a forma que o fundo, destinado aos aposentados e pensionistas, está sendo administrado.

E,m relação aos contratos que a Petros tem com a Petrobras, o CF tem pedido mais clareza. A ampliação do prédio Pituba, por exemplo, não tinha nem contrato, observou o conselheiro Tedesco. Embora a Petros esteja na última posição entre os grandes fundos de pensão do país em termos de rentabilidade, os conselheiros fiscais dizem não acreditar que haverá perdas significativas que possam provocar uma redução de benefícios ou aumento das contribuições dos participantes. Atualmente o Plano Petros têm R$ 74 bi, o equivalente ao patrimônio do Banco do Brasil.

Os debatedores falaram da decisão da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), que orientou ao fundo dos petroleiros a responder os argumentos do conselho fiscal, que constam do parecer a não aprovação dos resultados dos investimentos da fundação. A denúncia, publicada no jornal O Globo, trata da utilização ilegal do patrimônio do Plano Petros, para financiamento da administração dos planos de multipatrocínio, foi incorporada ao processo de discussão do Termo de ajustamento de Conduta (Tac), a ser firmado com a entidade.

 

Conteúdo Relacionado