Artigos

Agenda Internacional

Data: 04/08/2014 
Fonte: Carta Maior
Autor: Flávio Aguiar

Gaza

 

A semana continuará a ser dominada pelos acontecimentos em Gaza. Israel anuncia que sua missão está “quase completa”. Resta saber qual é a missão.  Supostamente, a de destruir ou prejudicar o máximo possível as instalações subterrâneas do Hamas em Gaza, além de matar o máximo de militantes do braço armado da organização. Mas ao lado destes, não se pode deixar de considerar o objetivo – implícito ou explícito – de arrasar a infraestrutura civil de Gaza. Além dos milhares de civis mortos – em grande número, mulheres e crianças -, o bombardeio de três escolas/refúgios da ONU, a destruição de um terço dos hospitais da Faixa e de 29 ambulâncias, e o estrangulamento do processo de paz.

 

As informações (na mídia do Ocidente) sobre o estado interno de Israel são igualmente horripilantes: perseguição/hostilização a quem se oponha à guerra, até com ameaças de perda de emprego, ameaças de agressão física, coisas, enfim, que no passado foram impostas à população judaica em escala mundial. O significado simbólico destes gestos ainda está para ser decifrado no futuro.

 

O feitiço contra o feiticeiro

 

A revista alemã Der Spiegel anuncia ter informes seguros de que os telefonemas do Secretário de Estado John Kerry, dos EUA, foram grampeados pelo Serviço Secreto israelense, durante as negociações de paz sobre a Palestina no ano passado. Sem comentários.

 

Ucrânia

 

O governo de Kiev anuncia o fechamento do cerco a Donetsk, bastião e capital extra-oficial dos rebeldes. Estes, por seu lado, anunciam a transferência de quadros para a região afim de formar “um governo duradouro e estável”. A Rússia realiza manobras na fronteira, com a participação de 100 aviões de combate.

 

Estados Unidos e União Europeia apertam sanções contra Moscou. Analistas apontam o estrangulamento de iniciativas importantes, como um acordo para permitir visitas mútuas entre EUA e Rússia de cientistas de ambos os países a instalações nucleares, com o objetivo de diminuir o arsenal atômico.

 

Ebola

 

O número de mortos graças ao surto do vírus ebola na África Ocidental sobe a 826. Crescem as medidas de segurança nos aeroportos do mundo inteiro.

 

China

 

Terremoto de 6,1 graus na escala Richter, na província de Iunnam, no sudoeste dio país, deixa 398 mortos, 1800 feridos e destrói milhares de casas, sobretudo na cidade de Zhaotong. Equipes médicas acorrem ao local.

 

Líbia

 

Guerra civil entre governo e partidários da Irmandade Muçulmama de um lado e “grupos nacionalistas”(embora entre eles haja ex-agentes da CIA) do outro se intensifica. Luta se concentra no aeroporto da capital, Tripoli, e na cidade de Benghazi. Potências Ocidentais não sabem o que fazer.

 

Iraque

 

Grupo Isis retoma a ofensiva, ocupando três cidades curdas no nordeste do país.

 

100 anos da Primeira Guerra Mundial

 

Embora as hostilidades militares tenham começado entre 28 e 29 de julho, no leste da Europa, depois do assassinato do arquiduque Franz Ferdinand da Áustria e de sua esposa em Sarajevo, em 28 de junho, a data de 4 de agosto é tida por muitos historiadores como a do começo oficial do conflito. Neste dia tropas alemãs invadiram a Bélgica, fuzilando  civis e destruindo a biblioteca milenar de Louvain.

 

Em consequência, a Inglaterra declarou guerra à Alemanha, começando a generalização internacional do enfrentamento. 9 milhões de militares morreram atér o seu final, em novembro de 1918. Quatro impérios desapareceram. A Liga das Nações foi fundada, o que não impediu a eclosão de novo conflito mundial, duas décadas depois.

 

Conteúdo Relacionado

Tags