Notícias

Contratação direta garante metas de longo prazo da Petrobrás

Data: 01/07/2014 

No último dia 24 de junho, o Governo Federal autorizou a contratação direta da Petrobras para a produção de volumes excedentes em quatro áreas do pré-sal, nos termos da Lei da Partilha de Produção de Petróleo, promulgada em dezembro de 2010, que dispõe sobre a exploração e a produção no pré-sal brasileiro. Esse volume excedente se somará aos 5 bilhões de barris já contratados em 2010 pela Petrobras sob o regime de cessão onerosa. As áreas do pré-sal que terão excedentes contratados são Búzios, Entorno de Iara, Florim e Nordeste de Tupi.

Com volume estimado entre 9,8 e 15,2 bilhões de barris de óleo equivalente (boe), segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), essas áreas possuem baixo risco exploratório.  Na opinião do Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados, Paulo César Ribeiro Lima, que está elaborando nota técnica sobre a decisão do governo, a contratação direta da Petrobrás é bem melhor que a licitação de Libra. Lima argumenta que, na contratação direta, a Petrobras caminha para ser uma gestora de serviços. Isto porque hoje, todas as sondas e plataformas são contratadas, e não mais de propriedade da Companhia. Assim, a Petrobras iria “terceirizar” a perfuração e a produção, sendo vantagem para ela se tornar gestora de serviços.

O consultor registra ainda que, com a contratação direta, a participação governamental será bem maior que em Libra, saltando de 40% para 100% da Petrobras – considerando-se que 46% do capital social da empresa é da União e entes públicos federais. No entanto, a contratação da Petrobras pela União como prestadora de serviços recebendo 15% do excedente em óleo seria ainda melhor que a contratação direta com a Petrobras recebendo 50% do excedente em óleo.

Independentemente disso, a Companhia registra que o acesso aos excedentes da cessão onerosa permite à Petrobras cumprir e até elevar suas metas de produção a partir de 2020, reduzindo os riscos de sua participação em sucessivas campanhas exploratórias na busca de reposição de suas reservas. Esta contratação direta traz como importante benefício a consolidação da indústria nacional, com destaque para o setor naval brasileiro. Segundo a estatal, não haverá impacto material na financiabilidade do Plano de Negócios e Gestão 2014-2018. O caixa da Petrobras fechou o 1º trimestre de 2014 com R$ 78,5 bilhões. O bônus de R$ 2 bilhões a ser pago ao governo para ter direito a produzir nestas áreas não exigirá novas captações no ano.

Conteúdo Relacionado

Tags

Petróleo Política Greve dos Petroleiros AEPET Aposentados Direitos Trabalhistas Greve Justiça Terceirização Violência Economia Pré-sal Faixa Livre Universidade Selic Emprego Unaí PCB Silvio Sinedino Ronaldo Tedesco CPI dos ônibus Proplema da Água entre RJ e SP Depoimento do Gal. sobre Rubens Paiva Força Armadas nas favelas do RJ O Brasil hoje Petrobras EPC ANP PIB petróleo produção recorde pre-sal indústria naval corrupção economia brasileira O GLOBO Política Internacional interferência política reservas TCU serviços contratos EPC perfuração pré-sal custo de produção pré-sal Petrobrás produção importações combustíveis desenvolvimento Soberania Nacional multa Cessão Onerosa Lucro inflação AIE Agência Internacional de Energia reforma política balanço da Petrobrás Polícia Militar preço dos combustíveis Petróleo e gás produção da Petrobrás desmonte Eleições privatizações escândalos ABI Ocupação aposentados O petróleo é nosso pós-sal Dilma Golfinho descoberta Cid Benjamin Milton Temer Luis Pereira Pedro do Couto Conselho Popular Denúncia José Carlos de Assis Reforma Trabalhista Momento político Diretoria de Governança Momento econômico Maioridade penal Morte da Maria Augusta Tibiriçá Mobilização dos trabalhadores Dia do jornalista Complexo do Alemão Conselho Deliberativo AEPET Bruno Terribas Dia do Índio Dia de Tiradentes Descobrimento do Brasil Trabalhadores Reajuste fiscal CPI HSBC Situação da UFRJ Escolha Ministro do Supremo Negociação dos servidores como o governo Situação precária da UERJ Desligamento do Cabo Daciolo do PSOL Campanha pela descriminalização das drogas Paulo Moreira Leite Política brasileira Depoimento de torturadores na Comissão da Verdade do RJ CPI na Câmara Papa Médicos x Governo Dilma Alex Prado Livro sobre condições de trabalho CLT Donald Trump Abuso de autoridade Gleinn Greenwald Operação carne fraca Momento político do Brasil e do Mundo Ação contra o Colégio Pedro II Foro privilegiado Reforma previdenciária PF realiza operação que leva Picciani a depor e prende membros do Tribunal de Contas do Estado Inglaterra sai da EU e Escócia quer sair do reino Unido