Notícias

Mais competitividade, mais emprego

Data: 09/06/2014 

Durante seminário realizado no Rio, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), José Velloso Dias Cardoso, afirmou que os 78 mil empregos criados no setor naval a partir da política de conteúdo nacional poderiam ser multiplicados por quatro se as isenções fiscais do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Promimp) fossem mais abrangentes. 

Cardoso acredita que, além de mais empregos, o subsídio resultaria em mais investimentos no setor. No entanto, o 2º presidente do Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante (Sindimar), José Válido, pondera que, antes, seja feito estudo do real impacto das isenções tributárias na competitividade das empresas beneficiadas. “Nós, enquanto entidade sindical dos marítimos, não podemos nos opor às políticas de conteúdo nacional e sabemos que nossa indústria enfrenta problemas de competitividade. Mas esta não é uma questão que se resuma simplesmente a isenção fiscal”, pondera. 

Reiterando que o Sindimar “vê com bons olhos” todas as medidas que tenham como objetivo aumentar a competitividade nacional, Válido lembra que a Petrobrás já atua no sentido de exigir uma parcela de conteúdo nacional em suas encomendas, mas o fator preço também é decisivo para as encomendas. “Nos países que têm indústria naval desenvolvida, sobretudo os asiáticos, o setor é amplamente subsidiado. Como princípio para nortear políticas de conteúdo local, não vemos o subsídio como problema”, sublinha.


Conteúdo Relacionado

Tags