Petróleo e Política

Acordo entre a Argentina e à Repsol

Data: 20/02/2014 
Fonte: Financial Times

Acordo entre a Argentina  e à Repsol
   
A Repsol e a Argentina deverão assinar um acordo de indenização de US$ 5 bilhões que colocará um ponto final em uma amarga disputa legal que se arrasta desde que o governo argentino expropriou os ativos do grupo espanhol de energia no país há dois anos.

O acordo ainda não foi formalizado e poderá ser frustrado por obstáculos de última hora. Mas pessoas a par das negociações disseram ontem que uma delegação da Repsol está em Buenos Aires para tentar concluir o acordo nos próximos dias. O pacote de indenização deverá então ser apresentado, na terça-feira, ao conselho de administração do grupo em Madri para aprovação.

A assinatura do acordo de indenização seria um avanço significativo para a Repsol, que foi duramente atingida pela nacionalização de sua subsidiária YPF em maio de 2012. Na época, suas operações na Argentina respondiam por cerca de um terço de seus lucros líquidos anuais e quase metade das reservas comprovadas da Repsol.

Mas o acordo também deverá ser bom para a Argentina, que está tentando reconquistar sua credibilidade entre os investidores internacionais, num momento de preocupações dos mercados com as economias emergentes da América Latina e outras partes do mundo.

Um acordo preliminar para acabar com o impasse já foi firmado entre líderes dos governos espanhol e argentino em novembro, mas sua conclusão vinha sendo repetidamente adiada.

Investidores e analistas estavam especialmente preocupados com a recente onda de turbulências no mercado - e a preocupação resultante com a saúde financeira da Argentina no longo prazo -, que poderia frustrar o acordo.

Sob os termos que agora estão na mesa, a Repsol vai receber US$ 5 bilhões em bônus argentinos denominados em dólares, para compensar o grupo pela perda da YPF, a ex-subsidiária que foi nacionalizada pelo governo argentino.

Os detalhes do acordo ainda não foram revelados, especialmente como e quando a companhia espanhola poderá transformar seus bônus em dinheiro.

Mas, segundo fontes, os negociadores do grupo pressionaram muito para conseguir garantias legais do governo de proteção aos interesses financeiros da Repsol, caso a Argentina venha a sofrer uma nova crise em seu endividamento externo.

A proposta de indenização é bem menor que os US$ 10,5 bilhões que a Repsol queria do governo argentino como parte de uma contestação jurídica diante de uma corte internacional de arbitragem. Mas analistas alertaram repetidas vezes que o resultado do litígio da Repsol seria incerto e que poderia levar muitos anos para que a corte desse um veredito final.

O acordo de US$ 5 bilhões também será substancialmente melhor que uma proposta de indenização feita anteriormente e intermediada pela Pemex, o grupo mexicano que controla perto de 10% da Repsol. Tal oferta, que acabou sendo rejeitada pelo conselho da Repsol, teria dado ao grupo espanhol apenas US$ 1,5 bilhão em bônus soberanos, mais uma pequena participação na valorizada formação de xisto betuminoso de Vaca Muerta, que era a pedra fundamental das operações da YPF.

Como parte do acordo, a Repsol concorda em desistir de sua ação legal contra a Argentina e contra outros grupos de energia, como a Chevron dos Estados Unidos, que concordaram em investir em Vaca Muerta desde a expropriação.

Fonte:  Financial Times

Conteúdo Relacionado

Tags

Petróleo Política Óleo Leilão Greve dos Petroleiros Ciência e Tecnologia AEPET ALERJ Aposentadorias Aposentados Belo Monte Leilão de Libra Leilão de Xisto Gás de Xisto Campanha Salarial Crise na OGX Direitos Humanos Direitos Trabalhistas Desigualdade Social Educação Meio Ambiente Europa EUA Guerra Greve História Justiça Manifestações Mensalão Mercosul Transporte Tortura Terceirização Violência Venezuela Economia Saúde Gasolina Engenharia Gás Energia Amazônia Privatização Pré-sal Refinaria Faixa Livre Xingu mst Dívida Pública Cuba Governo Água Universidade Luz Irã Selic Agrotóxicos Emprego Síria Medicina Médicos Argentina Brasil Ucrânia Ditadura PCB Juros Protesto Carnaval PT Horto UPPs Caos no RJ Fernando Siqueira Silvio Sinedino Ronaldo Tedesco Diretoria AEPET ROYALTIES Vila Autódromo CPI dos ônibus Pasadena Petrobrás na berlinda Força Armadas nas favelas do RJ segurança pública STF Caso Vale O Brasil hoje Economia da América Latina Setor elétrico Petrobras Paralização da rede estadual Paralização dos prof. da rede municipal Greve dos professores Eleições no Sindpetro Opep petroleo Metrô Greve Polícia Civil Pútin à China Brasília Abraço à Petrobrás Colômbia Previdência Social Politica agrícola PIB PM Cedae aepet aposentados Pesquisa eleitoral Psol pre-sal leilões investimentos Brics Conjuntura Nacional Manifestante economia brasileira Falecimento Política Internacional neoliberalismo Cultura reservas TCU Perimetral CSA Faixa de Gaza Prisão desenvolvimento Comissão da Verdade China Rússia Desenvolvimento Sustentável presidenciáveis salário mínimo reajuste preços inflação Montadoras plebiscito Polícia Militar Eleição José Augusto Ribeiro A Era Vargas FMI cargos e salários preço dos combustíveis Debate Presidencial Anistia Politica Internacional Debate Brasil Eleições Problema d'água Terrorismo Ficha limpa Professores ABI ONU Dia Nacional de Luta Arábia Saudita Escobar César Benjamin Denúncia José Carlos de Assis Paulo Metri Dilma Rousseff Paulo Brandão empreiteiras Momento político Felipe Coutinho Adriano Benayon Felipe Campos C. Coutinho Movimento Trabalhista Emanuel Cancella Grécia Brasil-Europa Mauro Santayana Impeachment Congresso do Andes dia internacional da mulher Planos de saúde Eugênio Miguel Mancini Scheleder Maioridade penal Cúpula das Americas Reforma eleitoral Recessão Reforma Política Situação da greve do ensino superior Audiência pública sobre o documento da AEPET sobre o pré-sal Reforma da Previdência Troca-troca de partidos EBSERH Violência contra professores Ocupação na Câmara Novos partidos Senado PSB Alemanha MEC Movimento popular preparatório da manifestação contra a Olimpíadal Greve dos bancários Situação dos médicos nos planos de saúde André Araújo Política brasileira Leilão do Pré-sal Leilão de Libra Programa Mais Médico Site do Brasil nunca mais Porto do Açu Greve de professores CPI ensino particular Turquia Papa Despejo na Ilha do Governador Correios Ato em defesa da Petrobras Política do Rio Enchentes FNP projeto nacional Banco Mundial Índio Manifestação Olimpíadas Servidores Agenda SUS Escola Assembléia Rebaixamento Homenagem Fidel Castro Crise PLC 41/2015 Eduardo Cunha Aldeia Maracanã França Seminário AEPET Petrobrás Magno Mendes Severino da Silva Atentado Corte Epaminondas de Souza Mendes Economia Mundial UERJ Acordo Colômbia e as Farc Alta do dólar Bando Central Equador Cunha Zona Sul Paul Craig Roberts Rio de Janeiro Politica Mariana Candidaturas para 2014 s em Campos Conflitos em Campos Mariana (MG) impactos ambientais Cháves Ampla Falta de energia Drogas Morro do Bumba Célio de Barros Mariana-MG Luiz Fernando Pezão crise politica Despejo Alex Prado Momento ´jurídico Greve na rede Estadual do RJ Eldorado-Carajás Jorge Rubem Folena de Oliveira MP Pastor Polícia Livro sobre a UH Claudio da Costa Oliveira Hospitais universitáios MP dos Portos Eletrobras Odebrecht Índios Municípios Teto de despesas Pedro Pinho filme – Posição de países da América do Sul Luís Nassif PEC 241 Caramuru Pacote da maldade PEC 55 Claudio Costa Oliveira Ceci Juruá Privatização da Cedae Prisão de PMs e Bombeiros Documentário Mangueira Transferência do pagamento dos funcionários do Itaú para o Bradesco a revelia Greve dos bombeiros e PMs Leandro Karnal Meireles Posição da Alerj frente ao pacote Pezão - Meireles Base do Brasil na Antártica Eleições na Rússia Punição aos bombeiros Dia Internacional da Mulher Santa Teresa Saída de Teixeira da CBF MAB Rio mais 20 Dia da água Marcha pela educação O Golpe de 64 Greve de ônibus Trens V Semana da Solidariedade, de mudanças políticas Abril vermelho Dia Muncial da Saúde Indústria Caso Cachoeira Delta