Petróleo e Política

OGX assina com credores parcelamento das dívidas

Data: 10/02/2014 
Fonte: Valor Economico

OGX assina com credores, mas ainda tem desafios

A antiga OGX, petroleira do empresário Eike Batista hoje denominada apenas Óleo e Gás Participações (OGP), concluiu na sexta-feira, por volta das 23 horas, a assinatura do acordo com os credores que trará US$ 215 milhões ao caixa da empresa, garantindo os recursos para todo este ano, pelo menos.

É o fim de uma etapa importante para a sobrevivência da companhia. Mas o início de um caminho um pouco mais longo do que se imaginava.

Os maiores credores da antiga OGX, os detentores dos bônus internacionais, serão os donos da empresa ao fim de tudo. Mas isso deve ocorrer no começo do segundo semestre deste ano, entre julho e agosto.

Os novos recursos serão obtidos com a emissão de duas tranches de debêntures - a primeira de US$ 125 milhões, para os detentores dos bônus internacionais e os fornecedores de um empréstimo ponto de US$ 50 milhões, e a segunda, de US$ 90 milhões, para todos os credores.

O aporte faz parte de um amplo acordo com credores fechado em 24 de dezembro. A empresa tem dívidas de US$ 5,8 bilhões (US$ 3,8 bilhões só com os donos dos bônus). Todo esse volume será convertido em capital, dentro do plano de recuperação judicial - e a empresa ficará sem dívidas.

Até o dia 17, o plano da recuperação judicial deve ser apresentado à Justiça e a expectativa é que esteja aprovado dentro de 60 dias, quando será feita conversão da dívida antiga em ações.

Já a conversão da dívida nova - referente aos US$ 215 milhões das debêntures - só será convertido mais à frente. E a expectativa é que, até lá, conforme apurou o Valor, ainda haja muito "ruído" de mercado, com queixas tanto de detentores de bônus que não entraram no grupo de fornecedores do dinheiro novo, quando de minoritários da OGP.

As condições de conversão em capital da dívida nova, frente à velha, são substancialmente mais favoráveis. Esses credores terão direito a 65% da antiga OGX, ao fim de todo o processo. Trata-se de uma espécie de "recompensa" pela aposta no negócio, em sua atual circunstância.

Por conta disso, o Valor apurou que a gestão da OGP, conduzida pela Angra Partners, de Ricardo Knoepfelmacher, está preparada para os questionamentos - mas isso pode alongar ainda mais os prazos de execução do acordo.

Os credores das dívidas antigas, que somam US$ 5,8 bilhões, ficarão com o equivalente de 25% da OGP reestruturada. Os atuais acionistas da empresa terão 10%.

Eike Batista ficará com 9,4%, na soma de suas fatias direta e indireta. Ele terá 5% diretamente, e mais 4,4% por meio da OSX, que está entre as credores e da qual ainda é o controlador.

Contudo, antes da execução de todas as etapas do plano, a OGP ainda precisa garantir as condições para sua implantação.

Entre elas, está a conclusão das negociações com os detentores dos bônus da OSX, que têm como garantia a plataforma (FPSO) OSX3, que está instalada e em operação no Campo de Tubarão Martelo. É o fluxo de produção deste campo que torna viável a recuperação da OGP.

Atualmente, a companhia extrai dele 11 mil barris de óleo ao dia. Esse volume pode subir até 18 mil barris diários, mas ainda muito distantes dos 100 mil originalmente previstos. O uso desta plataforma custaria, nas antigas bases contratadas entre as duas empresas, US$ 383 mil ao dia.

Para o acordo final com os credores, a OGX precisa renegociar essas condições para as bases compatíveis com a produtividade atual do campo.

Os donos dos bônus da OSX que têm a plataforma de garantia, porém, têm várias exigências para aceitar as novas condições. A expectativa é que um acordo seja alcançado até o fim desta semana. Caso ele não ocorra, o "plano B", conforme fontes ouvidas pelo Valor, é selar o acordo entre as empresas à revelia dos credores da empresa de estaleiros. Basta, para tanto, um acerto entre as administrações da OGP e da OSX. Atualmente, ambas estão sob a tutela da Angra, que coordena a reorganização da holding de Eike, a EBX.

Fonte: Valor Econômico/Graziella Valenti | De São Paulo

  

Conteúdo Relacionado

Tags

Petróleo Política Óleo Leilão Greve dos Petroleiros Ciência e Tecnologia AEPET Aposentadorias Aposentados Leilão de Libra Leilão de Xisto Gás de Xisto Campanha Salarial Crise na OGX Direitos Humanos Direitos Trabalhistas Desigualdade Social Educação Meio Ambiente Europa EUA Guerra Greve História Justiça Manifestações Mensalão Mercosul Transporte Tortura Terceirização Violência Venezuela Economia Saúde Gasolina Engenharia mobilidade Gás Energia Pré-sal Refinaria Faixa Livre Xingu mst Comperj Dívida Pública Governo Água Universidade Luz Irã Selic Emprego Trabalho Síria Medicina Médicos Argentina Brasil Ucrânia rádio PCB Juros Protesto Carnaval PSTU PT Greve dos Garis Plataforma UPPs PIDV Heitor Manoel Pereira Fernando Siqueira Diomedes Cesário Silvio Sinedino Ronaldo Tedesco Diretoria Diretoria AEPET ROYALTIES CPI dos ônibus Pasadena Petrobrás na berlinda Força Armadas nas favelas do RJ segurança pública STF CPI da Petrorás sindipetro O Brasil hoje TKCSA libra Economia da América Latina Graça Foster Petrobras Situação da economia Superfaturamento da Copa e da Olimpíada do RJ Pedro Celestino Pereira Paralização da rede estadual Paralização dos prof. da rede municipal Greve dos professores Opep Sandra Quintela PIB Pesquisa eleitoral Psol pre-sal leilões investimentos economia brasileira neoliberalismo reservas Eleições na AEPET desenvolvimento Comissão da Verdade China Desenvolvimento Sustentável presidenciáveis preços inflação Polícia Militar preço dos combustíveis Anistia Debate Brasil delação premiada Eleições Professores ONU Arábia Saudita Escobar César Benjamin Paulo Metri Dilma Rousseff Política Federal Momento político Grécia Planos de saúde Maioridade penal Reforma Política Greve na ADUFRJ Ocupação na Câmara Novos partidos Senado Greve dos bancários Situação dos médicos nos planos de saúde Progrma Mais Médicos Ocupação da Câmara dos Vereadores Política brasileira Leilão do Pré-sal Leilão de petróleo Esilio de Snowden CPI de ônibus Leilão de Libra Programa Mais Médico Site do Brasil nunca mais Porto do Açu Greve de professores CPI ensino particular Papa Despejo na Ilha do Governador Ato em defesa da Petrobras Assembléia Homenagem Aldeia Maracanã Seminário Petrobrás Epaminondas de Souza Mendes Economia Mundial Equador Rio de Janeiro Politica Conflitos em Campos Drogas crise politica Alex Prado Momento ´jurídico Eldorado-Carajás Pastor Polícia Livro sobre a UH filme PEC 241 Caramuru Abril vermelho Caso Cachoeira