Petróleo e Política

Petroleiros fazem atos contra a terceirização no CENPES

Data: 31/01/2014 
Fonte: Agência Petroleira de Notícias


Crédito: Samuel Tosta/Agência Petroleira de Notícias

Trabalhadores realizam ato contra terceirização na manutenção e operação do Cenpes

O Sindipetro-RJ e os trabalhadores de turno do Centro de Pesquisa da Petrobrás realizaram na manhã desta sexta (31), no Fundão, ato contra a terceirização na manutenção e operação do Cenpes.

Os petroleiros querem que a Petrobrás explique o motivo de chamar as empresas Dakia e Vivant para executar serviços que já são realizados por empregados do turno concursados da companhia. Na atividade realizada na entrada do Cenpes Expansão, os trabalhadores decidiram por pressionar pela marcação de uma reunião com o gerente executivo do Cenpes, do TIC e do Compartilhado para esclarecer melhor o processo em curso.

- Tivemos uma reunião com o Caino, gerente geral do RGB, e ficou claro que ele está omitindo os reais objetivos da vinda dessas empresas terceirizadas pro Cenpes. Não somos contra os trabalhadores terceirizados, mas contra o processo de terceirização – destaca diretor do Sindipetro-RJ, Brayer Grudka.

Segundo os operadores, os equipamentos que envolvem essas atividades são de enorme complexidade técnica, sem levar em conta a desmobilização de mais de 200 empregados próprios. A grande rotatividade dos trabalhadores terceirizados é outro problema apontado: “precisamos de trabalhadores do corpo da empresa, treinados, primarizados para manter a estrutura do Cenpes funcionando plenamente, fazendo a manutenção adequada dos motores e garantindo o controle da água gelada. Mas é fundamental a participação dos próprios trabalhadores do Cenpes nessa luta,” conclama Renato Lopes, diretor do Sindipetro-RJ e trabalhador do Cenpes.

Essa terceirização também contraria decisão do Tribunal de Contas da União de primeirizar todas as atividades-fins das Estatais, incluindo a Petrobrás, até 2015. O diretor da FNP e do Sindipetro-RJ, Emanuel Cancella, questiona esse processo: “não aceitamos que todos os processos de conhecimento, horas de treinamento e aprendizado a cerca de toda a área do Cenpes e Cenpes em Expansão, sejam desconsiderados e jogados no lixo.”

O trabalhador do setor de Tecnologia da Informação do Cenpes Hugo Fernandes, diretor do Sindipetro-RJ, comenta o avanço da terceirização dentro da Petrobrás: “no setor em que trabalho no Cenpes, no TIC, alguns anos atrás, toda a atividade era primarizada. Hoje vários setores importantes estão terceirizados, como a segurança da informação e a operação de telecomunicações.”

Fonte: Agência Petroleira de Notícias

Conteúdo Relacionado