Colunas
Colunista José Augusto Ribeiro

Quem governará a governança?

Data: 01/12/2014 
Autor: José Augusto Ribeiro

Em sua última reunião, o Conselho de Administração da Petrobrás decidiu criar uma nova diretoria, chamada de Governança, para prevenir novos casos de corrupção nas relações entre a empresa e as fornecedoras, empreiteiras e outras empresas com as quais tiver negócios. O diretor de Governança demorará ainda algum tempo para ser escolhido, porque não será indicado por nenhum partido ou grupo político e sim sugerido por uma empresa de caça a talentos, que o procurará no mercado.

Se fôssemos procurar precedentes assemelhados, encontraríamos alguns exemplos sugestivos. No governo do Presidente Juscelino Kubitschek, de 1956 a 1961, a Novacap, estatal criada para comandar a construção de Brasília, tinha um diretor indicado pela oposição e escolhido creio que pelas bancadas oposicionistas no Congresso. A missão desse diretor era ficar de olho nas atividades da empresa, que teve o privilégio de contar com o concurso, entre seus funcionários, do próprio Oscar Niemeyer, no cargo de simples arquiteto.

No segundo governo do Presidente Getúlio Vargas, no de Juscelino, no breve governo Jânio Quadros e no governo João Goulart, tornou-se habitual a escolha de representantes de trabalhadores para postos de direção. Jânio chegou até a pedir aos sindicatos de trabalhadores a indicação de diretores de estatais como a Companhia Siderúrgica Nacional (Volta Redonda).

No governo Jango, em cumprimento a uma lei que vinha do fim do governo Juscelino, vigorou em sua plenitude o modelo de administração colegiada nos institutos de previdência social, com um representante do governo, um dos empregadores e um dos trabalhadores na direção executiva desses órgãos.

O então Instituto dos Bancários foi um caso muito expressivo. Bancários e banqueiros brigavam furiosamente nas campanhas salariais e nas greves, mas agiam unidos na direção do Instituto, para impedir que o representante do governo se excedesse em práticas de nepotismo. Depois da queda de Jango, em 1964, o novo regime acabou com a administração colegiada na previdência, alegando que ela não passava de demagogia.

Na Petrobrás, hoje investigada até por órgãos do governo dos Estados Unidos, temos e tivemos diretores indicados por partidos políticos que estão às voltas com a polícia e a justiça, um pelo menos com a cobertura da delação premiada. Por isso foi criada a nova diretoria de Governança e a expectativa é que outras diretorias não sejam mais entregues a gente indicada por partidos e grupos políticos.

Fica então a pergunta: por que buscar num mercado de contornos tão imprecisos o titular da nova diretoria? O mercado já tem pelo menos um dos mastodontes da vida empresarial entre os membros do Conselho de Administração da Petrobrás. Os funcionários da empresa têm apenas um representante eleito, que vem a ser o Presidente da Aepet, Sílvio Sinedino, junto ao Conselho, quando, por justiça, deveriam ter um dos seus integrando a diretoria da empresa.

O milagre que é a Petrobrás hoje e o assombro que é o Pré Sal nada devem a esses mastodontes. O Pré Sal foi prospectado e descoberto por um profissional de carreira, já aposentado e sugerido pela Aepet, não pelo mercado, para a diretoria de Exploração e Produção da Petrobrás, Guilherme Estrela. Foi ele que ousou investir tudo quanto podia nesse projeto para muitos temerário e para ele patriótico, enquanto o deputado Severino Cavalcanti, aquele que tomava dinheiro dos concessionários de lanchonetes e restaurantes da Câmara, exigia sua cabeça e a prerrogativa de indicar algum protegido para aquela diretoria que “furava poço e achava petróleo”, como ele dizia naquele linguajar folclórico de malandro do sertão.

Se acharem que os funcionários são suspeitos, por corporativismo, para um deles ser o titular da nova diretoria, por que não procurar esse diretor na sociedade civil, entre os grandes nomes que povoam suas entidades representativas? Por que não ouvir a Ordem dos Advogados ou, mais perto da Petrobrás, o Clube de Engenharia, com seus mais de cem anos de compromisso com o futuro do Brasil? E até, sem preconceito, os clubes militares, já que foram as Forças Armadas as inspiradoras das medidas pioneiras e de toda a política petrolífera dos dois governos Vargas, em defesa primeiro do ainda desconhecido e depois, com a Petrobrás, do já descoberto petróleo brasileiro.

Tão importante quanto escolher bem o diretor de Governança da Petrobrás, e até mais importante que a criação dessa diretoria, será impedir a feudalização de seus postos de direção pelos  grupos partidários que criam dificuldades, sobretudo no Congresso, para vender facilidades e tempo de televisão nos horários gratuitos da Justiça Eleitoral.




Conteúdo Relacionado

Tags

Petróleo Política Leilão Greve dos Petroleiros Ciência e Tecnologia AEPET ALERJ Leilão de Libra Direitos Humanos Educação EUA Greve Manifestações Transporte Terceirização Violência Venezuela Economia Engenharia Gás Energia Amazônia Privatização Pré-sal Refinaria Faixa Livre Comperj Dívida Pública Cuba Governo Irã Salário Selic Emprego Trabalho Síria Argentina Brasil Unaí Ucrânia Protesto Carnaval PT Dia da Mulher ações Fernando Siqueira Silvio Sinedino Ronaldo Tedesco CPI dos ônibus Denúnicas Petrobras Pasadena CPI da Petrorás Caso Vale sindipetro O Brasil hoje Dia Mundial da Saúde TKCSA Imposto de Renda Petrobras manifesto Situação da economia Paulo Passarinho Pedro Celestino Pereira Paralização dos Servidores Federais Eleições Sindipetro Greve dos professores Greve dos servidores públicos petroleo energia nuclear Sandra Quintela Paulo Ramos Dia internacional contra injustiças dos megaeventos Aumento de passagem Eleição 2014 Haití Previdência Social Politica agrícola petróleo produção recorde PM Ecovilas Lançamento do Dossiê e Manifesto Pesquisa eleitoral Psol Assembléia dos professores das redes estadual e municipal pre-sal leilões investimentos Mandela Imprensa corrupção etanol Iraque economia brasileira O GLOBO Militares Falecimento conselho de administração Cultura TCU Negociação custo de produção pré-sal conteúdo nacional Petrobrás produção Faixa de Gaza Sebrae China Desenvolvimento Sustentável Cenpes Criminalização USP auditoria cidadã da dívida Soberania Nacional Reforma Tributária Eike Batista Chile AIE Agência Internacional de Energia plebiscito balanço da Petrobrás Polícia Militar Lançamento de livro Eleição José Augusto Ribeiro A Era Vargas preço dos combustíveis investimentos da Petrobrás Ricardo Maranhão Marina Silva delação premiada Fenaspe Clube de Engenharia Eleições Terrorismo Ficha limpa Shell Professores UFRJ Reforma Agrária ONU Dia Nacional de Luta Sindipetro-RJ Petrobrás operadora única regime de partilha transferência de tecnologia abastecimento de água preço do petróleo descoberta Cid Benjamin Luis Pereira José Carlos de Assis Paulo Metri Corrupção na Petrobrás Dilma Rousseff Presidente Paulo Brandão Coluna do Aposentado Emídio Rebelo Filho Emídio empreiteiras Momento político Felipe Coutinho Diretoria de Governança Defesa da Petrobrás laboratório Carta de Salvador Jorge M. T. Camargo Adriano Benayon cartéis Henrique Sotoma Felipe Campos C. Coutinho Abreu e Lima Rogério Studart Reforma política Faturamento FUP Monopólio Abutres Movimento Trabalhista Emanuel Cancella Obama Movimento em Defesa da Petrobrás Desenvolvimentistas Rogério Lessa Benemond Helio Silveira Geni Grécia Eleição para o conselho da Petrobrás liquidação de ativos Petros Assembleia de acionistas Contratos de risco Engenheiros da Petrobrás Prêmio Mauro Santayana Aldemir Bendine crise hídrica Reunião do conselho Impeachment Vicente P. Silva acidente plataforma navio-plataforma Cidade de São Mateus, Paulo Lima Moody's Gilberto Bercovici Mercado de trabalho Aniversário do Rio de Janeiro lava jato Oscar Momento econômico Planos de saúde ADRs soberania Julgamento de ativistas Paulo César Ribeiro Lima Petrobra Maioridade penal Banco da China Documento da AEPET para a Petrobrás Conselho Deliberativo AEPET Roberto Requião Dia do Índio Trabalhadores Reajuste fiscal CPI HSBC Fator previdenciário Eleições na Espanha Fernando Brito Aposentadoria Senado Greve dos bancários Situação dos médicos nos planos de saúde André Araújo Política brasileira Leilão de petróleo Leilão de Libra Espionagem Petrobras Privatização da Petrobras Lei Divida dos estados Papa Despejo na Ilha do Governador Remoções Desinvestimento da Petrobras Correios Petrobrás Crise econômica Ato em defesa da Petrobras Política do Rio Decreto de Comissão do governo do Rio Pesquisas de opinião Terreno de Guaratiba FNP Morte de Giannotti Situação dos pescadores na área do CSA Banco Mundial Museo Índio Prisões Energia elétrica Dívida Manifestação CORECON Olimpíadas Servidores Evento Mestrado Demissão GM General Contreras Agenda SUS Escola Assembléia Paulo Kliass Câmara Movimento Momento do Brasil Crise PLC 41/2015 Eduardo Cunha Sudeste Crise humanitária na Europa Orçamento do Governo 2016 Senador Capitalizar Denuncia violação de direitos em audiência de licenciamento na Baia de Sepetiba/ Ilha França Uber x Táxi Seminário AEPET Docentes Projeto de lei Corte em gastos sociais Fazendeiro Mato Grosso do Sul Conflito Venda de ativos 14 anos do atentado das torres gêmeas Atentado Câmara dos Deputados Livro de Assange Corte Distribuição de renda Redução da maioridade penal Ressocialização Quadro político Lava-Jato Petroleiros Cunha e o dinheiro na Suíça TCU e governo - reforma ministerial - PSOL e a saída de parlamentares. Portugal Países Japão TCE Caos. Pra onde vamos? Cunha BR Distribuidora Chico Alencar Pedro Paulo Martins Sindifisco Victor Leonardo Araújo UFF Luiz Mário Behnken Fórum Popular do Orçamento Bernardo Kocher Emanuel Cancella hidroelétricas PACS João Tancredo desarmanento Retratação Aumento Light Caos em Mariana Rio de Janeiro Politica Mariana (MG) 14 anos da morte de Celso ´CSN Ato público Jose Serra Divergência entre Supremo e juízes- Comissão de DH da Câmara Paraguai Greve na rede Estadual do RJ Dia Muindial da água Dia mundial da água Bélgica Pelmex Chernobil Taxa de juros Cloviomar Cararine Pereira Michel Temer WhatsApp Jorge Rubem Folena de Oliveira Pedro Parente Novo Governo Carlos Newton Calamidade no Rio de Janeiro Pedro Pinho Reino Unido Dívida do Estado Eduardo Paes Auditores fiscais Desastre na linha 2 do metrô- paralisação do RJ Luís Nassif Partido novo Eugênio Aragão Ciro Gomes Morte de D. Paulo Evaristo Arms Privatização da Cedae Bombeiros Policiais Lista de Fachin construção