Colunas
Colunista Art Berman

Reduções de custos do xisto são 10% de tecnologia e 90% depressão da indústria

Data: 22/03/2017 
Fonte: Forbes Autor: Art Berman - Tradução: Alex Prado

Estou cansado de ouvir sobre o inacreditável impacto da tecnologia na queda dos custos de produção de xisto nos EUA. A verdade é que estas afirmações são inacreditáveis. As economias são reais, mas apenas cerca de 10% são de avanços na tecnologia. Cerca de 90% é porque a indústria do petróleo está em uma depressão e as empresas de serviços de campo de petróleo reduziram os preços para sobreviver.


Zero Hedge publicou um artigo chamado “Como a OPEP perde a guerra contra o xisto em apenas um gráfico”, apresentando uma análise da Goldman Sachs.

gs-shale-cost-curve-20-march-2017

Zero Hedge (e / ou Goldman Sachs) afirma erroneamente que "a curva de custo tem sido maciçamente achatada e estendida como resultado da produtividade do óleo de xisto". Se ler o gráfico corretamente, a parte plana atribuída a "xisto" representa ~ 10 mmb / d, mas óleo de xisto produz apenas ~ 3 mmb / d.


Este pequeno problema aritmético e o fato de que toda a curva de custos de 2017 ter se deslocado para baixo em torno de US $ 15 / barril diante da curva de 2014 indica que o verdadeiro ponto e mensagem do gráfico é que os custos de equilíbrio para todos os produtores caíram quase 25%.


Minha empresa está trabalhando com clientes que perfuram poços de petróleo e gás nos EUA. As taxas do equipamento caíram 40% desde o colapso do preço do petróleo. Um cliente teve uma oferta para uma plataforma de perfuração em setembro de 2014 de $ 27.000 por o dia. No momento em que assinou o contrato em março de 2015, a taxa era de apenas US $ 17.000 por dia. Outro cliente recentemente executou um registro especial de alta tecnologia em um poço cujo preço de lista era de US $ 75.000, mas ele só pagou US $ 15.000 após os descontos aplicados.


A maior parte da celebração de eficiência e produtividade é realmente sobre uma depressão na indústria de petróleo que resultou em deflação maciça de preços. Eu estimo que apenas cerca de 10-12% da redução de custos é por causa da tecnologia e a maior parte só gerou benefício  uma só vez no primeiro ano ou assim que foi usado. No futuro, os ganhos de eficiência serão, no máximo, de alguns por cento.


"Nossa previsão pressupõe que a produtividade diminua 8% até o final de 2018 ... Acreditamos que uma parcela significativa dos ganhos de produtividade que estão sendo experimentados pelo setor fora do Permiano são o resultado de alta classificação e reverterão em anos futuros. As pressões de custo já estão surgindo no Permiano, o que prejudicará a eficiência de capital no futuro ".

 

--- Bernstein E & Ps (10 de março de 2017)


Já abordei muito a questão do custo. A maioria das empresas e analistas excluem rotineiramente G & A (custos gerais e administrativos ou despesas gerais), pagamentos de royalties, impostos federais sobre lucros, depreciação e amortização ("EBITDAX") de seus custos. Excluir custos é uma excelente maneira de reduzir o preço de equilíbrio, exceto que ele não representa com precisão este preço.


Mesmo se aceitarmos esses preços de equilíbrio, alguém investirá em coisas que não geram dinheiro? Desculpe, esqueci-me da taxa de juro negativa dos European bonds (EUR).


O EUR utilizado para os preços de equilíbrio em gráficos como da Goldman Sachs são em grande parte desconhecidos, mas maior EUR significa menor preço de equilíbrio.


As empresas informam rotineiramente EUR em barris de de óleo equivalente (BOE) que utilizam uma conversão de 6: 1 de gás natural para BOE com base no seu conteúdo energético, mas uma conversão baseada no valor, incluindo os líquidos de gás natural, é de 15: 1.


 

Para produtores como a Eagle Ford e da bacia do Permian, este jogo da conversão produz uma inflação de 35% em EUR, aproximadamente. É perfeitamente legal para os relatórios de reservas, mas é uma forma desonesta de representar o preço de equilíbrio, já que as empresas estão recebendo US $ 2,50 / mmBtu para gás e não os US $ 6,25 / mmBtu implicados na conversão 6: 1.


Os avanços tecnológicos resultaram em taxas de produção mais altas, aumentando o valor presente líquido. Em muitos casos, no entanto, estes são acompanhados por taxas de declínio aumentadas e menores EUR. A Figura 2 mostra um exemplo de Bakken Shale.
nd-pipeline-authority-aeb-cumulative-prod-comparison-21-march-2017
O gráfico à esquerda mostra 20 meses de dados de produção cumulativa sugerindo que o desempenho do poço melhorou a cada ano. O gráfico à direita mostra taxas de declínio para os mesmos anos de produção. Isso mostra que, de fato, o desempenho do poço está diminuindo de 2014 a 2016 devido a taxas de declínio mais altas.

A tecnologia não cria energia. O efeito de uma tecnologia melhor é uma torneira maior que produz a energia mais rapidamente. A desvantagem da tecnologia é que ela aumenta a taxa de esgotamento de recursos.

Os custos caíram para todos os produtores de petróleo e gás desde o colapso do preço do petróleo em 2014. A maior parte da poupança é devido aos menores custos dos serviços de campo de petróleo e não tanto por causa da tecnologia melhorada.

Art Berman é Geólogo de Petróleo e palestrante profissional. Visite o site para mais informações: artberman.com

https://www.forbes.com/sites/arthurberman/2017/03/22/shale-cost-reductions-are-10-technology-and-90-industry-bust/#595723ed452f






Conteúdo Relacionado